Uma multidão de mais de sete mil educadores(as), de todo o Paraná, votou favorável a greve geral por tempo indeterminado

Um coro poderoso gritava: “Greve, greve, greve!”. Foi assim que, por unanimidade, a categoria aprovou a reinstalação da greve geral, por tempo indeterminado, dos (as) trabalhadores (as) em educação pública do Paraná. Oficialmente, a greve inicia às 07h da segunda-feira, dia 9.

O desmonte das carreiras no Estado foi o elemento catalisador que levou milhares de professores, professoras, funcionários e funcionárias de escola a uma das maiores assembleias estaduais da categoria dos últimos anos. Cerca de dez mil educadores (as) participaram da assembleia, além de centenas de trabalhadores de outras áreas, estiveram no estacionamento do Guarapuava Esporte Clube no sábado (7).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Leia também:
Guaíra – Educação: Comunidade apoia professores durante manifestação
Guaíra – Professores da Rede Estadual realizam manifestação nesta sexta (6)

Desde o início da manhã, com a chegada das caravanas de vários municípios, era claramente perceptível a indignação dos (as) educadores (as). Faixas, camisetas, versões de músicas (usando o governador Beto Richa como mote) davam conta do que seria a assembleia.

Na acolhida, o presidente da APP, professor Hermes Leão, destacou o momento histórico. Ao encaminhar a votação da retomada da greve geral – que estava suspensa desde abril do ano passado – a categoria ovacionou a proposta, encaminhada pelo Conselho Estadual da APP (que se reuniu na sexta-feira).

Após a assembleia, a categoria saiu em caminhada, pela ruas de Guarapuava, para dar uma amostra das mobilizações que ocorrerão no Estado nos próximos dias, a começar pela concentração e audiência pública em frente a Assembleia Legislativa a partir das segunda-feira, dia 9, às 9h. Além da deliberação da greve, os(as) educadores(as) também aprovaram a:

PAUTA DA GREVE
1. Retirada ou rejeição dos projetos de lei PLC 06/2015 e o 60/2015 (a nomenclatura que receberam as duas mensagens enviadas pelo governador à Assembleia Legislativa do Paraná na última semana);
2. Pagamento imediato dos salários em atraso (PSS, 1/3 de férias, auxílio alimentação, conveniadas);
3. Retomada das negociações sobre os temas educacionais e a organização escolar;
4. Retomada do Porte das Escolas (tendo como referência mínima dezembro de 2014).

PONTOS IMEDIATOS PARA NEGOCIAÇÃO
1. Retomada imediata dos projetos educacionais e programas;
2. Abertura e reabertura de turmas/matrículas, contra a superlotação das salas de aulas;
3. Nomeados de todos (as) os (as) concursados (as);

Uma multidão de mais de sete mil educadores(as), de todo o Paraná, votou favorável a greve geral por tempo indeterminado
Uma multidão de mais de sete mil educadores(as), de todo o Paraná, votou favorável a greve geral por tempo indeterminado

Portal Guaíra com informações do APP Sindicato