Foto: Alex Miranda
ad

[dropcap color=”#dd3333″]F[/dropcap]amiliares de Fábio Junior de Oliveira, 29, compareceram na terça-feira (16) na Delegacia de Polícia em Umuarama, onde foram ouvidos em declaração no cartório de homicídios. A intenção dos investigadores é coletar informações que possam esclarecer a morte de Fábio.

Ele foi executado com tiros de pistola calibre 9 milímetros na noite da sexta-feira (12) em um trailer de lanches na avenida Tiradentes. Os investigadores acreditam que haja um mandante e um executor envolvidos no assassinato.

O delegado Osnildo Carneiro Lemes revela que a morte pode ter sido gerada por conta de envolvimento com criminosos na cidade de Altônia e que a vítima estaria sendo ameaçada naquele município. “Nós estamos centrando as investigações em cima das atividades ilícitas exercidas pela vítima, que tinha também aproximação com algumas pessoas dedicadas ao tráfico de drogas”.

Fabio estaria morando em Umuarama e o delegado acredita que ele tenha saído de Altônia por conta das ameaças que vinha sofrendo naquela cidade. “Apuramos que ele teve alguns desacordos e desavenças em Altônia e estava residindo recentemente em um apartamento em Umuarama. Fábio usava um veículo blindado provavelmente em razão das ameaças que vinha recebendo”, disse Osnildo.

Os investigadores chegaram a coletar algumas imagens de câmeras de monitoramento nas imediações da cena do crime, mas o material não apresentou qualidade suficiente para identificar o autor dos disparos.

“Nós temos algumas imagens que não estão muito nítidas, mas temos outras imagens sendo checadas e algumas testemunhas que já foram ouvidas. Outras pessoas serão intimadas posteriormente para comparecer à delegacia no decorrer da semana e só então poderemos definir a autoria, o mandante e o executor”, revela.

Portal Guaíra com informações do OBemdito


CLINICA SALUTAR