(Foto: Danilo Martins/OBemdito)

A polícia não tem dúvidas. O genro matou o sogro e a sogra, já idosos e depois tirou a vida da esposa. Os corpos foram encontrados por uma funcionária na casa da família na manhã de segunda-feira (9), na avenida São Paulo, centro de Umuarama. A reportagem é do OBemdito.

De acordo com a Polícia Civil, tudo leva a crer que o crime foi cometido por volta das 22h do domingo (8), após uma forte discussão entre o empresário e o sogro, Antonio Soares dos Santos, de aproximadamente 60 anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ainda não há certeza sobre a dinâmica do crime, mas de acordo com as informações reunidas pela equipe de criminalística no interior da residência, um sobrado, Antonio foi o primeiro a ser morto com pelo menos um golpe de faca na região do pescoço.

Helena Marra dos Santos, igualmente na faixa dos 60 anos, fora assassinada na sequência, a poucos metros do marido, também com uma perfuração no pescoço. O casal estava na parte de baixo da casa.

A filha deles, Jaqueline, possivelmente tentava se esconder no andar de cima. Dados extraoficiais apontam que o corpo dela apresenta pelo menos cinco hematomas causados por objeto perfurocortante no peito e nos braços, sinal de uma possível luta corporal para se defender.

Jaqueline foi encontrada de roupa, dentro de uma banheira vazia em um dos quartos.

Três laudos da perícia reverberam a crença da equipe chefiada pelo delegado Osnildo Carneiro Lemes, da 7aSubdivisão Policial, de que o genro é o autor do triplo homicídio.

Pegada em poça de sangue coincide com chinelo usado por suspeito

Dentro da residência, havia pegada de chinelo em uma das poças de sangue. O calçado coincide com o usado pelo empresário. Manchas de sangue também foram encontradas na lavanderia da casa da mãe de Jean e no volante do carro dele, um Astra prata.

Embora fossem casados, o suspeito e Jaqueline moravam em residências separadas. O casal discutia muito e o acusado optou por morar com a mãe. Estava à procura de um apartamento para viver com a esposa, longe dos pais dela.

Os primeiros depoimentos de pessoas próximas do suspeito e das vítimas corroboram que ele mentiu ao ser ouvido pelos policiais. Ele contou que havia saído de casa somente às 13h de domingo para ir ao encontro da esposa, mas um familiar relatou que o rapaz também se ausentou no período da noite, sem levar o celular.

Corpos serão sepultados em Goiás

A expectativa é que os corpos de Antonio e Helena fossem liberados ainda na noite de segunda-feira.

Já o corpo de Jaqueline precisou ser encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Toledo, para exames mais detalhados.

Assim que retornasse a Umuarama, os três deveram ser transladados a Pires do Rio, no interior de Goiás. A cidade é terra natal da família.

Clique aqui para mais detalhes da investigação.

As informações são do OBemdito