O dado é assustador: 46% de todos os casos confirmados de Covid-19 em Umuarama são dos últimos 20 dias. E os números podem subir ainda mais nesta semana, quando começam a aparecer os resultados dos exames feitos após as comemorações da campanha eleitoral, no domingo passado (15).

Se na cidade houve uma certa parcimônia após o fechamento das urnas, não se pode dizer o mesmo da região, onde cenas estarrecedoras de aglomerações foram registradas e até postadas em redes sociais.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No dia 2 de novembro, feriado de Finados, Umuarama tinha 1.236 confirmações de Covid. O primeiro caso na cidade foi registrado em 27 de março. Nesse domingo (22), chegou a 2.302. Outros 908 pacientes aguardam em casa, em isolamento (pelo menos é o que se espera), o resultado dos testes.

Uma análise mais detida dos números oficiais divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde mostra que os feriados têm contribuído para agravar a situação da pandemia em Umuarama, porque encorajam as pessoas a saírem de casa e descumprir o distanciamento social.

Além disso há o arrefecimento por parte dos jovens, que passaram a lotar bares em horário noturno. Que o diga a região boêmia da avenida Maringá, próximo da Universidade.

UTIs lotadas

Todas as vagas de UTI exclusivas para Covid estão lotadas em Umuarama. Há vários dias, pacientes em estado grave vêm sendo encaminhados para hospitais da região ou de cidades mais distantes.

No dia 3 de novembro, o Hospital Cemil teve 20 vagas de UTI e enfermaria descredenciadas pelo governo do Estado e as equipes de médicos, enfermeiros e técnicos foram desfeitas. O hospital enfrenta dificuldade para retomar o quadro de profissionais e atender a solicitação de retomada do atendimento público emergencial pela Regional de Saúde.

Neste domingo, o Cemil tinha 29 pacientes internados com Covid, todos por convênio ou particular. Na Uopeccan, todas as vagas estavam lotadas. Somente em último caso, diante de um descontrole absoluto da pandemia, haverá a abertura de leitos nos hospitais Nossa Senhora Aparecida e Norospar.

Toque de recolher

Um novo decreto municipal, com validade de 14 dias, começa a valer em Umuarama nesta segunda  (23). Toda pessoa fica proibida de livre circulação noturna das 23h às 5h, com exceção de trabalhadores do comércio e serviços ligados à saúde ou quem necessite buscar atendimento emergencial.

Infratores poderão receber multa de R$ 300,00 a R$ 5 mil.

O horário de funcionamento dos estabelecimentos, inclusive os de delivery e drivethru, fica limitado, em qualquer dia da semana, às 18h para os prestadores de serviço e comércio; 22h para mercados, mercearias, açougues, peixarias, padarias, restaurantes, pizzarias, lanchonetes, carrinhos de lanche, pastelarias, sorveterias, conveniências, bares e afins; e 20h para as indústrias.

Apenas postos de combustíveis, comércio de água e gás, farmácias e prestadores de serviço de reparo em veículos de transporte ou em aparelhos que sirvam à subsistência, prestadores serviço de saúde humana e animal poderão desempenhar suas funções 24h horas por dia.

Transporte público

O transporte público coletivo municipal funcionará até as 23h de segunda a sábado, não podendo funcionar aos domingos e feriados. Deve ser evitada venda de passagem a pessoa com 60 anos ou mais, salvo para o uso das 9h às 16h.

Ficam proibidas as feiras nos espaços públicos, exceto a do Produtor (de quarta-feira), a de terça-feira e as livres (de sexta-feira e domingo), desde que observados as medidas preventivas para evitar o contágio do coronavírus previstas no decreto.

Comerciantes das feiras proibidas poderão vender produtos com entrega em domicílio. O horário das feiras será até as 20h e a montagem a partir das 5h.

Supermercados e mercearias

Já os supermercados e mercearias devem permitir que cada consumidor permaneça por no máximo uma hora no estabelecimento e limitar o número de produtos por cliente, especialmente os que se destinam à higiene, alimentação e saúde, a fim de evitar a formação de estoques domiciliares em detrimento da coletividade.

Igrejas e templos religiosos ao público só poderão preencher no máximo 30% dos espaços para celebrações, com afastamento mínimo de dois metros entre as pessoas. Pessoas do grupo de risco ficam proibidas de participar de cultos e missas presenciais.

A administração municipal informou que vai intensificar a fiscalização na cidade e nos distritos.

Clique aqui para saber todos os detalhes do novo decreto.

As informações são do OBemdito