Anderson revelou a intenção de se dedicar à carreira de ator (foto: Josh Hedges/Getty Images/VEJA)

Apesar de estar com o seu retorno ao octógono agendado para 31 de janeiro, contra Nick Diaz no UFC 183, Anderson Silva deu uma entrevista ao Fantástico, da TV Globo, em tom de despedida. “Eu acho que a cada dia que passa eu fico mais perto de me aposentar”, declarou o lutador brasileiro em conversa exibida na noite deste domingo. Repetindo palavras que já irritaram Dana White, chefão do UFC, Anderson disse que não tem mais “paciência” para disputas de cinturão. “A verdade é que Ayrton Senna só vai ter um, Pelé só vai ter um e Anderson Silva só vai ter um. Então, quem viu, viu. Quem não viu, não vê mais”, afirmou o lutador.

Sobre a recuperação depois da chocante fratura na perna esquerda, durante a luta contra Chris Weidman em dezembro de 2013, Anderson contou que o mais difícil tem sido recuperar a confiança para realizar chutes como o que provocou a lesão. “Na hora dos treinos eu fico meio apreensivo. Eu sei que eu posso executar o movimento, mas eu acabo não fazendo por medo”, afirmou ele. O lutador, que faz acompanhamento psicológico para superar o trauma, disse ainda que sua perna está “91%” boa.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ator

O brasileiro falou também sobre a intenção de se dedicar cada vez mais à carreira de ator. Anderson fechou contrato com uma agência de Los Angeles e já gravou participação em um filme americano ainda sem data de estreia. Recentemente, o lutador atuou na comédia nacional Até Que a Sorte nos Separe 2 e no seriado policial NCIS: Los Angeles. Nesta nova trajetória, o lutador também pensa grande. “Eu não tenho a pretensão de ser um Denzel Washington, mas espero chegar perto”, disse Anderson.

Anderson revelou a intenção de se dedicar à carreira de ator (foto: Josh Hedges/Getty Images/VEJA)
Anderson revelou a intenção de se dedicar à carreira de ator (foto: Josh Hedges/Getty Images/VEJA)

Fonte: Veja/Fantástico