Equipes de resgate ontem no local da queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines

ad

O Pentágono confirmou que o avião de passageiros malaio que caiu ontem (17), na Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, foi abatido por um míssil. A informação foi divulgada pela CNN.

O Ministério da Defesa americano não soube informar, no entanto, qual seria o autor do ataque. Segundo a agência russa Interfax, 295 pessoas estavam a bordo da aeronave da Malaysia Airlines, que caiu em Torez, a cerca de 40 quilômetros da fronteira.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Antes, o conselheiro do Ministério do Interior da Ucrânia, Anton Gerashenko, tinha postado em sua página no Facebook, que a aeronave, identificada como um Boeing 777, estava a uma altitude de 10 mil metros (33 mil pés) quando foi atingida por um míssil disparado por lançador modelo Buk, sistema que pode disparar mísseis a uma altitude de até 22 mil metros (72 mil pés).

A caixa-preta da aeronave foi localizada por insurgentes, de acordo com a Agência EFE. Jornalistas da Associated Press relataram ter visto um lançador semelhante nas proximidades da cidade de Snizhne, leste da Ucrânia, na manhã de ontem.

Dezenas de corpos estavam espalhados ao redor dos destroços ainda em chamas no ponto da queda, constatou um repórter da Reuters no local.

Um funcionário dos serviços de emergência disse que pelo menos 100 corpos tinham sido encontrados até o começo da noite no local, perto do vilarejo de Grabovo, e pedaços de corpos estavam espalhados por até 15 quilômetros.

Partes quebradas das asas estavam marcadas com tinta azul e vermelha, as cores do emblema da Malaysian Airlines.

Apesar de não ter confirmado oficialmente a queda, por meio de seu Twitter, a Malaysia Airlines informou que perdeu contato com o voo MH17, que partiu de Amsterdã em direção a Kuala Lampur, na Malásia. O último contato teria sido feito sobre o espaço aéreo ucraniano.

Segundo o chefe do órgão responsável pelo espaço aéreo da Ucrânia, Dmytro Babeychuk, o avião estava voando normalmente, sem problemas, até desaparecer do radar.

Palco de combates

A queda da aeronave ocorreu na região de Donetsk, palco de combates entre forças governamentais e rebeldes separatistas pró-Rússia, e foi confirmada pelo serviço de tráfego aéreo da Ucrânia.

O avião da Malaysia Airlines teria sido derrubado por um caça-bombardeiro da Força Aérea ucraniana, denunciaram insurgentes pró-Rússia. Representantes da autoproclamada República Popular de Lugansk, uma das duas regiões rebeldes do leste da Ucrânia, divulgaram esta versão sobre o que ocorreu com o avião que cobria a rota Amsterdã-Kuala Lumpur e que caiu na região de Donetsk.

Representantes da separatista e autoproclamada república popular de Donetsk também negaram que disponham de armamento para derrubar um avião que voe a 10 mil metros de altura.

Por outro lado, o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, acredita que um “ato terrorista” foi a causa da queda de um avião da Malásia ontem, disse seu assessor. “Poroshenko crê que esse avião foi abatido: não é um incidente, não é uma catástrofe, mas um ato terrorista” disse Svatoslav Tsegolko.

Equipes de resgate ontem no local da queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines
Equipes de resgate ontem no local da queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines

Fonte: O Paraná