(Foto: Daniel Bezerra/RICtv)

Após 14 horas mantida refém de um homem de 42 anos, a idosa moradora do Distrito de Yolanda, na cidade de Ubiratã, no Oeste do Paraná foi libertada. Foi necessário o acionamento do BOPE (Batalhão de Operações Especiais) de Curitiba para auxiliar na negociação que só terminou quando o homem se rendeu, três horas depois de soltar a vítima.

Segundo apurado pelo repórter da RICtv, Murilo Cardoso, o autor do crime, morador de Vitória da Conquista, na Bahia, tinha como alvo a filha da idosa. No entanto, ao procurar pela mulher, não a encontrou e fez a mãe dela como refém. O homem mantinha uma relação amorosa extraconjugal com a filha da idosa há cerca de dois anos, à distância. Com o fim do relacionamento, e vítima de chantagens, ela entrou com uma medida protetiva para que ele se afastasse. Segundo os vizinhos, como vingança, ele espalhou vídeos íntimos dos dois nas redes sociais.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Essa não foi a primeira vez que o sequestrador manteve uma mulher em cárcere privado. De acordo com a polícia, ele fez a mesma coisa com a ex-companheira e as filhas. “Na hora da negociação ele se fecha, porque já passou por outro sequestro, já foi preso por isso, então ele acha que voltar para cadeia seria muito penoso, ele prefere a morte. Em Várias vezes que fiz a negociação com ele, por horas, ele encontrava a cabeça ao vidro e falava pode me matar, eu so saio daqui morto”, comentou o tenente coronel Giraldes, comandante do 11° Batalhão de Campo Mourão.

A Polícia não deu detalhes sobre a motivação do crime, o caso é investigado.

Sobre o crime
Foram 14 horas de uma negociação tensa. A vítima estava sendo mantida refém por um homem armado com uma faca. Por volta das 20h30 da noite a vítima foi liberada e encaminhada ao hospital de Ubiratã. Durante todo esse tempo, ela não comeu, tomou pouca água, por ser diabética e hipertensa será acompanhada pela equipe médica.

Na casa estava a idosa e seu esposo, o homem foi liberado. Além da mulher, um animal de estimação da família também ficou preso dentro do quarto com a mulher.

A comunidade tem pouco mais de mil habitantes e deixou os moradores amedrontados.

Portal Guaíra com informações da Ric Mais