[dropcap color=”#dd3333″]A [/dropcap]Polícia Federal divulgou áudios de uma mulher que foi presa na operação Égide, deflagrada nesta sexta (24), por envolvimento com tráfico de drogas e aliciamento de menores.

Ela obrigava a filha de 13 anos à prostituição.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em uma das ligações grampeadas pela polícia com autorização da Justiça, a suspeita conversa com uma amiga sobre um programa que teria agenciado para a filha.

Para a amiga, chamada de ‘Nega’, ela revela que a adolescente saiu com um homem, conhecido como ‘Dema’ , que seria bem mais velho.

“Ela, antes de sair de casa, falou que não ia lamber ele não, nem beijar ela ia, porque ele era velho”,diz a mãe da menina.

Ainda durante a conversa, a aliciadora revelou que a jovem se ‘enrolou’ e demorou mais de uma hora para sair de casa, enquanto o homem a esperava na frente de um mercado, em Ubiratã.

À saída da filha, um conselho: “Pede R$ 150, fia. Quando estiver deitada, agrada ele, tira uma foto e pede mais dinheiro. Diz que é menor”.

A mulher ainda sugere que a menina leve o cliente até um motel conhecido, pois lá ficaria mais à vontade.

As investigações da operação Égide duraram quatro meses e somente pela manhã foram presas oito pessoas.

O responsável por coordenar a quadrilha seria um detento da Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu. Os mandados foram cumpridos em Cascavel, Foz, Ubiratã, Nova Aurora e Londrina.

A adolescente está sob os cuidados do Conselho Tutelar.

Portal Guaíra com informações da Catve