Um médico de Ubiratã, no oeste do Paraná, está sendo investigado por ter recebido três doses da vacina contra a Covid, conforme o Ministério Público do Paraná (MP-PR).

De acordo com o MP-PR, o médico foi vacinado em março contra a Covid. Após a aplicação da primeira dose, ele esperou cerca de 20 dias e tomou a segunda, conforme a recomendação.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Entretanto, em maio, o médico fez um exame de pesquisa de anticorpos neutralizantes para Covid-19, que deu negativo, segundo a investigação. Ou seja, o resultado indicou que o médico não estava totalmente protegido contra a doença.

Conforme a investigação, com esse resultado em mãos e exames de saúde, que apontam que ele tem comorbidade, o médico foi em busca de um novo imunizante, tomando mais uma dose da vacina no dia 26 de maio.

O que diz a prefeitura?
De acordo com o secretário adjunto de Saúde de Ubiratã, Orlando Vieira Filho, o caso ocorreu porque no dia que o médico foi se vacinar pela terceira vez o sistema onde é registrado o nome dos vacinados estava fora do ar.

O secretário não soube explicar à RPC porque a técnica de enfermagem aplicou a vacina mesmo vendo nos documentos que o médico já tinha sido vacinado outras duas vezes.

O caso
A situação foi verificada pela regional de saúde de Campo Mourão, a qual Ubiratã faz parte. Os servidores cruzaram os dados e perceberam a falha. Por isso, levaram a situação até o Ministério Público.

Conforme o MP-PR, os promotores receberam a denúncia no dia 7 de julho. No dia 9 de julho, a promotoria entrou em contato com a prefeitura de Ubiratã, pedindo explicações sobre essa situação.

Questionando como isso aconteceu, quem aplicou a vacina, se outras pessoas estavam presentes, que documentos o médico apresentou e ainda se outras pessoas tomaram mais de duas doses da vacina contra a Covid-19 na cidade.

O MP-PR também quer saber como a secretaria municipal de Saúde de Ubiratã faz o controle dos vacinados.

Portal Guaíra com informações do G1