A exuberância da natureza é a principal motivação das ações de conservação (foto: Divulgação/Coripa/Rafael Pinz)
Paredão das Araras: refúgio e santuário (Divulgação/ ICMBio)
Paredão das Araras: refúgio e santuário (Divulgação/ ICMBio)

Um complexo ecossistema, que congrega faixas de Mata Atlântica, cerrado e pantanal. Assim é o Parque Nacional de Ilha Grande, tesouro que cativa pesquisadores, ambientalistas e turistas.

Trata-se de uma das maiores áreas de preservação ambiental do estado, espalhada em nove municípios do Paraná e Mato Grosso do Sul.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O corredor de biodiversidade contempla lagos, lagoas e cerca de 180 ilhas e ilhotas, com direito a cenários de encher os olhos.

O Instituto Chico Mendes (ICMBio) é responsável pela gestão do parque, em conjunto com o Consórcio Intermunicipal para Conservação do Remanescente do Rio Paraná e áreas de Influência (Coripa).

Atrativos

Em Icaraíma, é possível passar o dia em extensos bancos de areia e na prainha de água doce (Porto Camargo) há restaurantes, lanchonetes e pousadas.

Barcos passam pelo Paredão das Araras, Refúgio dos Macacos e pelo complexo de pontes na divisa entre os estados.

Em Altônia, é possível passear por lagoas, fazer trilha e ainda conhecer uma figueira centenária.

O turismo na região é recente. Passeios aquáticos programados incluem a ponte Ayrton Senna, em Guaíra, e o canal do Mato Grosso do Sul, que dá acesso a Lagoa Saraiva e a Ilha São Francisco.

Mas os atrativos vão muito além. Para conhecer um pouco mais, é recomendável pesquisar o site do Coripa .

Lagoa Saraiva (Divulgação)
Lagoa Saraiva (Divulgação)

Portal Guaíra com informações do OBemdito