A assistente de pesquisa agrícola, Luciana Santos de Almeida, de 24 anos, morreu após ser atropelada por um pulverizador na fazenda Água Quente, que pertence ao grupo Amaggi, localizada em Sapezal (MT). O caso aconteceu na tarde da última quarta-feira, 23.

Segundo informações da Polícia Judiciária e Civil de Sapezal, Luciana estava na garupa de uma moto em uma área da fazenda, quando o pulverizador, que era operado por outro trabalhador veio em direção a moto de marcha ré. Luciana teria se assustado e pulou da garupa da moto, e foi atropela pelo pneu do equipamento, que passou por cima de sua cabeça.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A engenheira morreu na hora, enquanto a outra funcionária que pilotava a moto conseguiu escapar. A polícia diz que o operador da máquina não conseguiu visualizar a moto. As autoridades ainda investigam o caso como homicídio culposo, quando não há a intenção de matar.

Em nota enviada ao Canal Rural, a Amaggi confirmou o acidente que vitimou a assistente de pesquisa agrícola e prestou solidariedade aos familiares de Luciana. “Tão logo teve conhecimento do caso, a Amagi deu início a todas as medidas de amparo aos familiares da colaboradora e está à disposição dos mesmos para prestar todo apoio que necessitarem neste momento de perda”, diz a nota.

Ainda segundo a empresa, o corpo de Luciana foi encaminhado para o Instituto Médico Legal em Campo Novo do Parecis (MT) e posteriormente foi liberado para translado até a cidade de Cáceres (MT), onde reside a família e onde foi realizado o velório e o sepultamento.

Luciana era funcionária da Amaggi desde março e estava residindo no alojamento da fazenda Água Quente.

Portal Guaíra com informações do Canal Rural