Testados mais uma vez pelos milhares de torcedores que foram ao Estádio Nacional Mané Garrincha assistir à partida de abertura da Copa das Confederações 2013, entre Brasil e Japão, os serviços de telefonia móvel não foram bem avaliados pelos presentes. Apesar de aplaudirem o futebol mostrado pela seleção nos 3 a 0 de ontem (15), muitos reclamaram que não conseguiram usar a rede 3G das operadoras para se comunicar com amigos e parentes fora do estádio e mandar fotos.

“Os celulares não estavam funcionando. Tentei ligar e não consegui”, disse a torcedora Luciana Mares Guia, após o jogo. “Tinha operadoras que funcionavam, outras não”, relatou Thiago Neiva, que acompanhou a partida no estádio.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O empresário Caubi Pinheiro, 37 anos, também contou que teve dificuldades de usar a internet e fazer chamadas pelo celular. “Tentei usar a internet, mas não consegui. Quando tentei ligar, não completava a ligação. Quando completa, cai em seguida”.

twitter-internet-nos-estadios-da-copa

Muitos profissionais de imprensa, que, além da internet 3G, tinham em suas mesas um cabo para acessar internet em seus computadores e wifi da Federação Internacional de Futebol (Fifa), tiveram que enviar textos apenas pela internet a cabo. A internet 3G e a conexão wifi só funcionaram nos últimos minutos da partida.

Para que o sistema de telefonia e internet móvel funcionasse de forma adequada nos estádios, as empresas de telefonia instalaram uma infraestrutura de equipamentos e antenas para suportar um grande número de acessos ao mesmo tempo. No Estádio Nacional Mané Garrincha, a capacidade é para 37,8 mil ligações na mesma hora, 12 mil transmissões de dados simultâneas em 3G e 9,8 mil transmissões em 4G. O público presente no estádio hoje chegou a 67.423 pessoas.

As cinco operadoras de telefonia móvel (Vivo, Claro, TIM, Oi e Nextel) instalaram infraestrutura conjunta no estádio, que inclui antenas distribuídas para garantir a cobertura nas arquibancadas, camarotes, vestiários, corredores, praças de acesso e estacionamentos. Apesar disso, a reclamação de muitos torcedores foi que essa estrutura “não deu conta do recado”.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) informou no início da semana que Brasília apresenta a melhor situação entre os estádios da Copa das Confederações, com 85% da infraestrutura concluída. A entidade garantiu que, mesmo sem estar com toda a estrutura pronta, não havia risco de pane nos serviços porque as operadoras disponibilizaram a capacidade máxima de transmissão de voz e de dados nos estádios. As empresas de telefonia investiram R$ 110 milhões nos seis estádios da Copa, onde foram instaladas 767 novas antenas.

De acordo com a assessoria de comunicação da Fifa, a entidade está recebendo informações para avaliar como foi a prestação de serviços, incluindo telefonia móvel e internet, durante a partida. A Agência Brasil não conseguiu contato com o SindiTelebrasil e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que tinha fiscais no estádio.

Fonte: Agência Brasil