O delegado Alexandre Macorin falou do andamento das investigações sobre a morte de Dirceu Nelson Borchardt Dorpmuller de 40 anos e a prisão da esposa dele, que de vítima passou a ser investigada.

O crime ocorreu no dia 07 de janeiro, Dirceu assassinado com facão, em cima da cama. No dia a mulher de 51 anos disse que foi acorrentada em uma cadeira de plástico na rua. Na época em entrevista ao portal CATVE ela deu detalhes de como tudo aconteceu.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No entanto no decorrer da investigação, contradições levaram a polícia a investigar a mulher e pedir a prisão temporária de 30 dias que podem ser renovadas para mais trinta.

“Nós podemos afirmar a priori que a versão da esposa da vítima não condiz com a realidade dos fatos”, comenta o Macorin.

O delegado disse que agora aguarda a conclusão dos laudos, mas que versão que ela apresentou não parece verdadeiro. “Mesmo depois de presa continuam contraditórios os depoimentos. O fato dela ter parentes no Paraguai pedimos a reclusão dela”.

Durante as diligências, a versão de que o companheiro estava embriagado foi descartada pela polícia.

“Comportamento de uma pessoa grande de 120kg pedir para uma senhora que toma remédio controlado para ir atender 1h30 da manhã, pessoas batendo na porta e depois falaram alto que queriam falar com ele”, disse.

Ainda de acordo com o delegado Alexandre, o homem Dirceu morreu sem chance de reação.

O delegado explica que o crime praticado com muita violência e que a participação de outras pessoas não é descartada.

Ele ressalta que há uma linha de investigação definida, mas que detalhes sobre a investigação e motivação não serão repassadas. O crime, de acordo com Marcorin, é de difícil resolução.

Portal Guaíra com informações da Catve