A ADAPAR – Agência de Defesa Agropecuária do Paraná por meio da ULSA (Unidade Local de Sanidade Agropecuária) de Guaíra, confirmou na última quarta-feira, dia 20 de abril de 2022, mais dois casos de raiva dos herbívoros no município de Terra Roxa, somando 3 casos de raiva diagnosticados em 2022 naquele município.

O primeiro caso ocorreu em janeiro deste ano, em uma propriedade da Vila Guarani. O animal acometido foi uma fêmea bovina de 12 meses de idade que veio a óbito.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em relação aos casos diagnosticados essa semana, o primeiro trata-se de um equino macho de aproximadamente 6 meses de idade que estava em uma propriedade rural localizada na Estrada R1.

Já o segundo caso trata-se de uma fêmea bovina de aproximadamente 15 meses de idade, localizada em uma propriedade na Estrada Rios.

Em ambos casos, a ULSA de Guaíra foi notificada pelos médicos veterinários da inciativa privada que os animais apresentavam sinais clínicos compatíveis com raiva dos herbívoros.

Foi então realizado vistoria nas propriedades onde foram repassadas orientações aos produtores, sendo que os animais suspeitos foram isolados do restante do rebanho e permaneceram sob monitoramento.

Os produtores foram orientados para que comunicassem a ADAPAR logo que os animais viessem a óbito para proceder coleta de material biológico.

A ADAPAR foi notificada dos óbitos e com o apoio de servidores da ULSA de Palotina realizou os procedimentos de coleta de material do sistema nervoso central e enviou para o Centro de Diagnostico Marcos Enrietti – Laboratório da Adapar em Curitiba.

Os laudos diagnósticos com resultado positivo para raiva foram emitidos no dia 20 de abril de 2022.

Causada por um vírus e transmitido principalmente através mordida de morcegos hematófagos, a raiva é uma doença incurável que ataca o sistema nervoso dos animais, levando-os à morte. A doença é considerada uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida a seres humanos, e em humanos também é fatal.

As propriedades que estiverem num raio de 10 quilômetros das propriedades foco, ou seja, das propriedades onde foram diagnosticadas a doença, serão notificadas para que vacinem todos os animais de produção da propriedade (Bovinos, Bubalinos, Equinos, Caprinos e Ovinos).

O trabalho de fiscalização e notificação dessas propriedades, bem como a notificação da Secretaria Municipal de Saúde do município de Terra Roxa do município se iniciará na próxima segunda-feira (25).

A Adapar recomenda que os animais dessas espécies sejam vacinadas contra raiva anualmente.

Os animais novos podem ser vacinados apartir de 3 meses de idade. Estes precisam de 2 doses para serem imunizados, onde a dose de reforço deve ser aplicada 30 dias após a primeira aplicação.

Essa recomendação aplica-se também em casos de animais adultos que estão sendo vacinados pela primeira vez.

A vacinação contra a raiva em animais de produção (Bovinos, Bubalinos, Equinos, Caprinos e Ovinos) deve ocorrer todos os anos nas regiões onde ocorre a doença e tenha morcegos hematófagos, pois a imunização é a melhor forma de proteger o rebanho.

Os animais suspeitos de raiva, não devem ser manipulados e Ulsa mais próxima, deve ser notificada para o atendimento que é feito por profissionais preparados, vacinados e com o uso de equipamentos de proteção individual.

Os produtores que observarem que seus rebanhos estão sendo atacados por morcegos hematófagos, ou ainda que observarem animais com algum dos sinais sugestivos de Raiva (mudança de comportamento, salivação abundante, dificuldade para engolir, ranger de dentes, dificuldade de locomoção progressiva, movimentos desordenados de cabeça e de pedalagem, paralisia e morte) devem comunicar a Unidade da Adapar de Guaíra pelo telefone 044-3642-1996, o Escritório de Atendimento Municipal (EAM) de Terra Roxa, junto à secretária municipal de agricultura, ou ainda na ADAPAR de Palotina no fone (44) 3649-2260.

Terra Roxa - ADAPAR confirma mais 2 casos de ‘Raiva Bovina’ no município • Portal Guaíra

Portal Guaíra com Assessoria