O WhatsApp desistiu de limitar as funções de contas que não aceitaram a nova política de privacidade, em vigor desde 15 de maio.

De acordo com a página de suporte do aplicativo de mensagens, “no momento, não há planos para exibir lembretes de maneira persistente nem limitar as funcionalidades do app”.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No início de maio, a empresa afirmou que o usuário continuaria a receber as notificações de mensagens e ligações do app em um primeiro momento, e, com o tempo, as funções seriam desativadas até que o usuário aceitasse as novas regras.

“Os usuários que não aceitaram a atualização terão oportunidades para fazê-lo diretamente no app, como ao registrar-se novamente no WhatsApp ou ao usar pela primeira vez um recurso relacionado a essa atualização”, explicou o aplicativo.

As mudanças foram anunciadas pela primeira vez em outubro de 2020. Após a aceitação do usuário, o aplicativo poderá compartilhar com as empresas parceiras do Facebook, que é o dono do Whatsapp, dados como o número pessoal de telefone do usuário, marca, modelo, número de IP do dispositivo e empresa de telefonia utilizada.

Além disso, informações como o “online” e “visto por último” também poderão ser compartilhados e dados de tempo de uso e atividades dos usuários no aplicativo.

Portal Guaíra com informações da TV Cultura