A Polícia Civil de Cascavel apresentou, nesta segunda-feira (23), as quatro pessoas suspeitas de terem participado da morte da menina de três anos, que morreu após ser baleada no rosto enquanto brincava em frente de casa. A prisão temporária dos suspeitos foi um pedido do Ministério Público (MP), que entendeu que havia indícios suficientes para prendê-los.
999997_201116086732553_173487669_n
O crime aconteceu na terça-feira (10). Segundo o delegado que cuida do caso, Pedro Fernandes, a criança estava atrás de um veículo, quando foi atingida por disparos feitos por duas pessoas em uma motocicleta vermelha que passou atirando em direção à residência. A menina chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada de quarta-feira (11). O alvo dos disparos era um amigo da família da criança, que supostamente estaria dentro do automóvel.

A polícia ouviu aproximadamente 25 pessoas, e os depoimentos levaram aos quatro suspeitos. Segundo as testemunhas, dois homens foram os informantes e os outros dois que estavam em uma moto atiraram contra a residência. “As investigações ainda continuam. Nós estamos ouvindo mais algumas pessoas. E ainda não localizamos as armas. Mesmo porque, uma dessas pessoas nega participação, que nós entendemos que é o atirador”, explicou o delegado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Os presos devem responder por homicídio qualificado. Se eles forem considerados culpados, podem pegar pena de 12 a 30 anos de prisão.

Entenda o caso
De acordo com os investigadores, a confusão teve início no domingo (8), durante uma briga de casal no autódromo de Cascavel, em que várias pessoas se envolveram. Já na segunda (9), o suspeito tentou matar um jovem que o teria ameaçado na discussão. Na terça à tarde, ele se apresentou na delegacia acompanhado de uma advogada e assumiu a tentativa de homicídio, mas disse que havia perdido a arma durante a fuga. Em seguida foi liberado.

À noite, tiros foram disparados contra a casa dele e contra a casa de um amigo – que também esteve no autódromo -, onde a criança que brincava próximo à garagem foi atingida. Como tudo indicava que o jovem que se apresentou na terça-feira tinha envolvimento em mais este crime, o delegado determinou que fosse novamente ouvido.

Fonte: G1