Ex-médico Roger Abdelmassih sendo preso pela Polícia Federal no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)

O Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu na quinta-feira (2) a decisão sobre o recurso da defesa do ex-médico Roger Abdelmassih para anular o julgamento que o condenou a 278 anos de prisão pelo estupro de 37 mulheres. Foragido desde 2011, ele foi capturado em agosto deste ano na cidade paraguaia de Assunção. Atualmente, Abdelmassih está preso na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

O recurso está sendo julgado pela 6ª Câmara Criminal do TJ, que passará pela análise de três desembargadores. O relator do caso, o desembargador José Raul Gavião de Almeida, votou a favor da manutenção da condenação. Em seguida, o revisor do processo, o desembargador Marco Antônio Marques da Silva, pediu vista dos autos, adiando o julgamento para a próxima quinta-feira.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em novembro de 2010, a juíza Kenarik Boujikian Felippe, da 16.ª Vara Criminal de São Paulo, condenou o ex-médico por 278 anos de prisão por crimes cometidos entre 1995 e 2008. Ele havia sido preso em 2008, mas foi solto por uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) no ano seguinte.

Ex-médico Roger Abdelmassih sendo preso pela Polícia Federal no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)
Ex-médico Roger Abdelmassih sendo preso pela Polícia Federal no Paraguai (Divulgação/Secretaria Nacional De Antidrogas do Paraguai/VEJA)

Fonte: Veja