Uma empresária e um corretor de imóveis foram presos na terça-feira (29) pela Polícia Civil por suspeita de envolvimento no assassinato do namorado dela em São Paulo. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (30) pela assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

De acordo com o Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHHP), Anne Cipriano Frigo, de 46 anos, é suspeita de oferecer R$ 200 mil para o corretor de imóveis Carlos Alex Ribeiro de Souza, 28 anos, para matar o namorado dela, o segurança Vitor Lúcio Jacinto, 42. O dinheiro não teria sido pago.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo a investigação, o motivo do crime foi passional devido a uma traição. Para o DHPP, Anne planejou o assassinato de Vitor depois de descobrir que ele a estaria traindo com outras mulheres.

Em resumo, para a polícia, a empresária é a mandante do crime e o corretor o executor. Segundo a investigação, Carlos conhecia o casal. Ele tinha amizade com Anne e com Vitor.

Os advogados que defendem Anne foram procurados, mas não quiseram comentar o assunto. A empresária deverá ser interrogada na tarde desta quarta no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa, que fica no Centro da capital. Ela ainda não apresentou sua defesa.

A defesa de Carlos não havia sido localizada para tratar do caso até a última atualização desta reportagem. Segundo policiais, ele teria confessado o crime, dizendo que foi contratado pela empresária para matar Vitor porque ela havia descoberto a traição do namorado.

O crime
Anne e Carlos foram presos temporariamente por decisão da Justiça a pedido do DHHP. Segundo a investigação, no dia 16 de junho o corretor atraiu a vítima para visitar um imóvel, na Zona Sul, onde o matou com um tiro pelas costas.

O corpo de Vitor só foi localizado dois dias depois, em 18 de junho, numa área de mata, perto de uma estrada de terra, às margens da represa de Guarapiranga, Zona Sul da capital. O cadáver estava com queimaduras na cabeça e nos pés. Também foi encontrada a marca de um disparo nas costas. Ele ainda tinha uma corda amarrada ao pescoço.

Anne está detida na carceragem do 89º Distrito Policial (DP), no Portal do Morumbi, na Zona Sul.

Os policiais civis do DHHP investigaram o caso e informaram ter indícios da participação da empresária e do corretor no homicídio da vítima.

As provas, segundo os policiais, são vídeos de câmeras de segurança e ligações telefônicas feitas pelos suspeitos. Uma câmera de segurança teria gravado Carlos na frente da casa de Vitor. Os celulares do corretor e da empresária foram apreendidos.

Segundo o boletim de ocorrência do caso, o corpo de Vitor tinha queimaduras na cabeça e nos pés. A polícia também encontrou dois cilindros de metal que teriam sido usados para levar o combustível que queimou a vítima.

Corretor
No carro de Carlos, o DHHP informou ter encontrado a cápsula de uma arma que pode ter sido usada para matar o segurança.

Anne é conhecida na capital paulista como uma empresária que foi dona de um espaço cultural e de lazer para crianças na Lapa, Zona Oeste.

Além disso, ela também teve negócios no ramo de papelão. Atualmente morava num apartamento luxuoso, na Vila Nova Conceição, na Zona Sul, próximo ao Parque do Ibirapuera.

Segundo a polícia, ela conheceu o namorado por meio de um aplicativo de relacionamento. Ele trabalhava como segurança num restaurante.

Além de dar presentes caros ao namorado, como carros de luxo, a empresária, que é formada em direito, mantinha o aluguel da casa onde Vitor residia, em Alphaville, condomínio fechado de alto padrão na Grande São Paulo.

Dois dias após o crime, Anne comemorou seu aniversário com uma grande festa, de acordo com a investigação.

Portal Guaíra com informações do G1