Uma cuidadora de idosos de 43 anos foi hostilizada pela atendente de um asilo de Sorocaba (SP) na última quinta-feira (14). Por causa de alguns erros nas mensagens, a funcionária sugeriu que Cristiane Barros fizesse um curso de português e disse que era “por isso que ela não arrumava trabalho”.

Nos prints da conversa enviados ao g1, é possível ver que a atendente passa a corrigir os erros da cuidadora, que tenta se explicar. “Não existe agente, é a gente”, escreve.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Seria bom você fazer um curso de português. Deve ser por isso que você não consegue uma vaga de trabalho”, continua.

Cristiane contou que decidiu mandar o currículo pois soube, por meio de um amigo, que a clínica estava em busca de novos funcionários. Logo que enviou seus documentos, no entanto, a atendente começou a respondê-la de forma hostil.

“Eu me senti muito mal. É muito triste pensar que existem pessoas assim, principalmente trabalhando com idosos. Fiquei chateada, porque não sou uma pessoa do mal. Fiz o curso, estou procurando emprego e batalhando por isso. Eu errei, alguns deles foram o corretor e não consegui arrumar. Foi sem querer”, diz.

A cuidadora disse que pediu desculpas e tentou mandar novas mensagens, mas que seu número foi bloqueado pela clínica.

O g1 entrou em contato com o asilo, que informou que não tinha conhecimento sobre o ocorrido, que “lamenta muito este tipo de conduta” e que não compactua com o comportamento da atendente.

Também disse que vai apurar internamente o ocorrido, mas que já identificou que “nenhum dos empregados e funcionários foi emissor das mensagens”.

“Continuaremos as investigações internas e, caso algum prestador de serviços tenha realizado a conduta em nome da empresa, adotaremos as medidas corretivas necessárias”, diz a nota.

Portal Guaíra com informações do G1