A contratação de mais de 400 servidores para compor o efetivo da Polícia Civil do Paraná marca um momento histórico do Estado: todas as 161 comarcas passam a contar com delegados. Ao todo foram chamados, por concurso público, 150 delegados, 200 investigadores, 50 papiloscopistas e 25 escrivães. Destes, 391 concluíram com sucesso o curso de formação e em 2023 passaram a reforçar a segurança dos paranaenses, reforçando o atendimento em comarcas distantes da Capital.

Os novos policiais, oriundos de todos os lugares do País, iniciaram o curso de formação em agosto de 2022 e a formatura ocorreu em dezembro. Durante os meses de aperfeiçoamento, cursaram 80 matérias de conhecimento técnico-operacional, totalizando 1.100 horas/aulas práticas e teóricas. As competências adquiridas proporcionaram a habilitação necessária para atuar em qualquer cidade do Estado.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Agora, eles estão atuando no dia a dia da Polícia Judiciária, em procedimentos que envolvem investigação de crimes, direção de delegacias, interlocução com o Poder Judiciário, lavraturas de flagrantes, operações policiais, emissão de documentação (como RG) e condução de inquéritos. Com esse reforço, a expectativa é de respostas muito mais rápidas para a sociedade.

“É com grande satisfação que anunciamos que os novos servidores já estão atuando. O reforço no efetivo de delegados e de policiais civis garante que as famílias paranaenses tenham mais segurança”, disse o secretário da Segurança Pública, Hudson Leôncio Teixeira.

“Foi uma contratação histórica que resolve a falta de delegados em comarcas do Paraná. Com a contratação e a efetiva lotação desses delegados, que se deu no dia 2 de janeiro, todas as comarcas do Paraná passaram a ter delegados exclusivos para conduzir os trabalhos de polícia judiciária”, afirmou o delegado-geral da PCPR, Silvio Jacob Rockembach.

Os trabalhos dos novos investigadores, escrivães e papiloscopistas também serão fundamentais ao Estado, agilizando procedimentos também nas centrais de flagrantes e o trabalho em delegacias especializadas de atendimento a mulheres e adolescentes, por exemplo. “São policiais de todas as carreiras que vão contribuir de forma conjunta para que os serviços da Polícia Civil sejam prestados da melhor maneira possível”, completou o delegado-geral.

Lotações

A ordem de escolha da lotação ocorreu a partir de uma média aritmética entre as notas obtidas no concurso e as notas das avaliações teóricas, práticas e de aptidão física realizadas durante o curso técnico-profissional.

Além da média, dois outros fatores também interferiram na escolha das unidades onde cada profissional vai atuar. No concurso de investigador e papiloscopista, as vagas foram regionalizadas por edital. Por isso, o candidato se inscreveu para uma região específica do Estado.

As vagas para o cargo de delegado foram direcionadas para as cidades do Interior e da Região Metropolitana – os novos servidores devem trabalhar nestas localidades por, no mínimo, três anos.

No efetivo da Capital houve um reforço de 39 servidores, sendo 27 investigadores, 10 papiloscopistas e dois escrivães. Na RMC, iniciaram as atividades 11 delegados, 45 investigadores, nove papiloscopistas e seis escrivães. Nas subdivisões do Interior, o reforço no efetivo ocorre com 281 servidores: 130 delegados, 108 investigadores, 15 escrivães e 28 papiloscopistas.

Exemplos

Em Francisco Beltrão (Sudoeste), por exemplo, três novos delegados começaram a atuar na 19ª Subdivisão Policial. A 13ª Subdivisão Policial de Ponta Grossa (Campos Gerais) recebeu 13 novos delegados, que vão atender um raio de 18 municípios. Os novos profissionais da 8ª Subdivisão Policial de Paranavaí (Noroeste) vão atender Loanda, Santa Isabel do Ivaí, Nova Londrina, Terra Rica, Paraíso do Norte, Alto Paraná, Nova Esperança e Paranacity. No Norte Pioneiro, os novos profissionais da 12ª Subdivisão Policial de Jacarezinho darão mais cobertura para Cambará, Carlópolis, Joaquim Távora, Tomazina e Wenceslau Braz, além da Central de Flagrantes de Jacarezinho.

Plano estratégico

A contratação e a formação dos futuros servidores fazem parte do Plano Estratégico 2019-2023 que foi instituído no primeiro mandato do governador Carlos Massa Ratinho Junior, e que busca trazer melhorias tanto para os policiais civis como para a sociedade. Outra conquista histórica do período foi a remoção de todos os presos das delegacias, liberando os policiais civis para sua missão constitucional. Os detentos passaram a ser responsabilidade da Polícia Penal e foram encaminhados para unidades específicas ou penitenciárias.

Portal Guaíra com informações da AEN