Dois turistas do Paraná ficaram presos em uma das 20 cabines de uma roda gigante após o fechamento da atração em Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, na noite de terça-feira (11). Eles estavam no alto da roda gigante, a cerca de 65 metros de altura, quando viram funcionários finalizarem as operações da atração.

De acordo com a empresa, o resgate ocorreu cerca de 25 minutos depois da notificação do incidente. Mas segundo o motorista Djefferson Emanuel, um dos que ficou preso, ele e o amigo passaram mais tempo presos e chegaram a ficar no escuro.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Lá em cima ventava bastante, mas não tínhamos preocupação com queda. Mas eles literalmente esqueceram da gente […] Ninguém está falando de falta de segurança, mas sim de falta de capacitação dos profissionais. Lá de cima, vimos eles irem embora. Esperamos uns 15 minutos até cair a ficha que estávamos lá. Não foi agradável”, disse Djefferson.

Conforme a empresa, ao terminar o passeio, os turistas acabaram não sendo desembarcados, e iniciaram uma segunda volta, que coincidiu com o tempo que a roda gigante foi desligada para manutenção e limpeza.

Os operadores perceberam que eles estavam na roda pelo circuito interno de TV. Eles reiniciaram o equipamento e fizeram o desembarque.

“Em nenhum momento houve qualquer situação de risco”, informou a direção da roda gigante.

Tentativa de avisar com lanternas dos celulares
Os dois amigos estavam na cidade a trabalho. Pouco antes das 21h, compraram bilhetes para conferir a atração. Segundo eles, no fim da primeira volta a cabine não abriu as portas para o desembarque.

“Embarcaram próximo das 21h e só fomos desembarcar às 21h50. Na metade da segunda volta, eles apagaram as luzes. Tentamos contato pelo interfone, mas não deu, a luz dentro da cabine apagou também. Tentamos fazer sinal com a lanterna dos celulares e também não deu certo” diz Djefferson.

Segundo os dois amigos, após o contato com os operadores por meio do interfone que fica na cabine não dar certo, Beatriz Pádua, de 46 anos, que estava na roda com Djefferson, telefonou para um irmão que mora em Balneário.

“Nossa sorte é que os nossos celulares tinham bateria. Meu irmão achou que era brincadeira. Depois foi até o local e avisou um funcionário que estávamos lá”, disse Beatriz.

De acordo com a empresa, o interfone estava funcionando e os dois turistas não realizou o contato com os operadores através do aparelho. Não houve feridos, segundo a empresa responsável pela atração.

O casal de amigos informou que registrou um boletim de ocorrência. Segundo Djefferson, a empresa informou para eles que uma investigação será feita para identificar a falha que os manteve no local. A Guarda Municipal de Balneário Camboriú informou que por se tratar de um empreendimento privado, não houve a participação de agentes no resgate dos turistas.

Portal Guaíra com informações do G1