O empresário de 42 anos suspeito de matar a tiros Thalia Ferraz, de 23 anos, em Jaraguá do Sul, no Norte de Santa Catarina, na véspera do Natal foi preso nesta segunda-feira (28). Segundo o delegado que investiga o caso, Fabiano Silveira, o homem se entregou à polícia da cidade após passar três dias foragido no interior do Paraná.

A vítima foi morta diante de familiares, entre eles os sobrinhos de 14 e 8 anos, na noite de quinta-feira (24), véspera de Natal. O suspeito de cometer o crime, segundo a Polícia Civil, é ex-companheiro da jovem. O G1 tentou contato com a defesa do acusado, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Ele falou que não ia conseguir ficar muito mais tempo escondido em razão da repercussão do caso”, afirmou Fabiano Silveira.

A arma utilizada no crime foi localizada nesta segunda-feira (28) com a ajuda do suspeito. O homem indicou aos policiais o lugar onde teria se escondido após do crime. De acordo com o delegado, era em uma área de mata a cerca de 3 quilômetros do local do feminicídio.

“Após o amanhecer, ele pegou um veículo que ele dispunha e empreendeu fuga para o estado do Paraná. Imediatamente, segundo ele, num primeiro momento chegou ao município de Guarapuava [PR] e, após se alimentar naquela cidade, em um posto de conveniência, ele então partiu para região onde ele nasceu, que é justamente entre Cantagalo, Goioxim e Laranjeiras do Sul [no Paraná]. Ali ele ficou esse tempo todo até o momento em que ele fez contato com o seu advogado e manifestou o interesse de se entregar”, disse

O mandado de prisão temporária foi expedido pela Justiça. Em nota, a Polícia Civil de Santa Catarina informou que contou com o apoio de forças policias do Paraná.

De acordo com a investigação, o suspeito se apresentou à Polícia Civil acompanhado de um advogado. Segundo o delegado, a polícia interrogou o homem até as 12h30.

O crime
Na véspera do assassinato, o suspeito enviou uma mensagem de texto à vítima perguntado se ela “gosta de surpresa”.

Na noite do crime, a Polícia Militar foi acionada por volta das 23h40. Segundo testemunhas, o suspeito teria entrado na residência da vítima atirando.

A vítima, que tinha deficiência auditiva, tentou se proteger indo para um dos quartos. Ela foi atingida por um disparo na altura do tórax, após o projétil atravessar a porta do cômodo.

De acordo com um familiar da vítima, Thalia terminou o relacionamento com o homem dois dias antes do crime. O casal ficou junto por um mês e o ciúme exagerado dele teria motivado o fim do relacionamento.

Thalia foi enterrada na tarde de sexta-feira (25) em Jaraguá do Sul. Ela deixou dois filhos de 3 e 6 anos.

Portal Guaíra com informações do G1