A Polícia Civil concluiu o inquérito e indiciou o pastor preso em Tubarão, no sul catarinense, alvo de denúncias de abusos sexuais durante ‘orações individuais’. Até o momento, 10 vítimas – 9 mulheres e um homem – procuraram a delegacia da cidade para relatar os crimes, ocorridos na igreja e nas residências.

Ele responderá por violação sexual mediante fraude, importunação sexual, estupro de vulnerável e assédio sexual.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O nome dele não foi informado pela corporação. O inquérito foi concluído na sexta-feira (11) e o caso será encaminhado ao poder Judiciário e Ministério Público.

Durante a investigação, o pastor foi preso preventivamente em 4 de novembro a pedido da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso da cidade (DPCami).

O pastor tinha como hábito fazer oração em conjunto e depois pedia para a vítima ficar sozinha em uma sala isolada para “oração individual”. Era nesse momento que praticava o abuso, de acordo com a investigação.

Ainda segundo a Polícia Civil, houve relatos ocorridos há 11 anos e duas das vítimas disseram ter sofrido abuso quando eram menores de idade.

Portal Guaíra com informações do G1