A mulher presa na segunda-feira (21) por matar o companheiro e esconder o corpo dele dentro de um freezer agiu sozinha, segundo a Polícia Civil. O corpo do motorista de caminhão Valdemir Hoeckler, de 52 anos, foi localizado na noite de sábado (19) em Lacerdópolis, no Oeste catarinense, na residência em que o casal vivia sozinho.

Na segunda-feira (21), Claudia Tavares Hoeckler, de 40 anos, se apresentou na delegacia de Joaçaba, na mesma região, mas não falou sobre o crime. Segundo o delegado Gilmar Antônio Bonamigo, a motivação do homicídio ainda é apurada.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Ao g1 SC no domingo (20), o advogado da suspeita apontando que a morte foi motivada por supostos episódios anteriores de violência doméstica. “Para preservar sua vida, matou”, disse. Após a prisão dela, o advogado Marco Alencar emitiu nota dizendo que a mulher “se entregou espontaneamente” (leia a íntegra abaixo).

‘Possível luta corporal’, diz polícia sobre lesões em suspeita de esconder corpo em freezer
Hoeckler estava desaparecido desde 15 de novembro e foi localizado dentro do eletrodoméstico embaixo de refrigerantes que chegaram a ser oferecidos aos bombeiros durante buscas na casa.

Não há informações sobre a causa da morte do motorista. Conforme o delegado, a mulher é suspeita de homicídio e ocultação de cadáver. Sobre a alegação de violência doméstica feita pela defesa, a Polícia Civil disse que não tem informações. O caso segue em sigilo.

Lesões no corpo
Três dias após comunicar o sumiço do marido, na sexta-feira (18), Claudia, que é professora e tem uma filha de 22 anos com a vítima, foi à delegacia prestar depoimento. Na ocasião, não era considerada suspeita, mas sim testemunha de um caso de desaparecimento.

Durante o depoimento os investigadores perceberam ferimentos pelo corpo dela, que, segundo a Polícia Civil, ocorreram “possivelmente de uma luta corporal”.

No mesmo dia, a mulher havia concordado em fazer exame de corpo de delito e liberar a casa para que fosse feita a perícia. Após sair da delegacia, no entanto, ela não foi mais localizada.

Nota da defesa
A defesa de Claudia Tavares Hoeckler esclarece que ela se entregou à polícia nesta segunda-feira e está à disposição da autoridade policial. O depoimento dela está marcado para amanhã. Cláudia se entregou espontaneamente mesmo sabendo que contra ela existia uma ordem de prisão.

Claudia foi ouvida na sexta-feira passada e respondeu a todas as indagações da autoridade policial — inclusive se submeteu a um exame de corpo de delito. É preciso esclarecer que ela também permitiu a entrada dos peritos à sua casa. Esse acesso seria realizando nesta segunda com a presença dela, mas a polícia acabou por ingressar na residência durante a noite de sábado, tendo encontrado o cadáver de Valdemir Hoeckler.

A defesa, por fim, esclarece que Cláudia, em momento algum, obstruiu, absolutamente, a ação das autoridades constituídas.

Marco Alencar, advogado de defesa

Portal Guaíra com informações do G1