O novo boletim epidemiológico do sarampo, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), na quinta-feira (12), informa que foram confirmados 56 novos casos nos últimos dias. O total de confirmações desde o início de agosto é de 594. A capital e a Região Metropolitana de Curitiba têm 90% dos casos, são 536 confirmações, sendo 372 somente em Curitiba. Outros 58 casos estão distribuídos em 16 municípios do litoral e interior do Estado.

Entre todo o grupo de pacientes com sarampo confirmado desde o início do surto no Paraná, 307 pessoas, ou 57% dos casos, estão na faixa de idade entre 20 e 29 anos. Há dez pacientes confirmados de zero a seis meses, 13 registros de seis a 12 meses, seis casos de um ano a quatro anos, três de cinco a nove anos, 156 com idade entre dez e 19 anos, 67 registros entre 30 e 39 anos, 23 com idade entre 40 e 49 e nove pacientes na faixa entre 50 e 59 anos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esclarece que a vacinação continua em todo o Paraná. “Embora tenhamos encerrado o período de campanha de vacinação, as centenas de salas de vacinas distribuídas no Estado têm doses da tríplice viral que previne sarampo, caxumba e rubéola”, reforçou.

As complicações decorrentes dos sarampo são muito sérias. O secretário estadual faz um alerta. “O sarampo não é brincadeira, já tivemos casos de pessoas que foram entubadas, que permaneceram dias na UTI e conseguiram se recuperar e voltaram às atividades normais. Mas quando olhamos para a situação de São Paulo, onde já morreram 14 pessoas, ficamos muito preocupados. Por isso, vacine-se, previna a sua saúde e cuide dos seus familiares, amigos e conhecidos”.

O boletim completo pode ser acessado por meio do link: http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=3473

MUNICÍPIOS – O Ministério da Saúde classifica como situação de “surto ativo” todo município em que tenha confirmação de pelo menos um caso. Dessa forma, 38 cidades paranaenses estão em surto por causa do sarampo. Confira as quantidades de ocorrências desde agosto deste ano:

Curitiba e outros 19 municípios da Região Metropolitana, que integram a 2ª Regional de Saúde, somam 536 pacientes com sarampo:
Curitiba: 372
Almirante Tamandaré: 12
Araucária: 4
Balsa Nova: 2
Campina Grande do Sul: 5
Campo do Tenente: 3
Campo Largo: 16
Campo Magro: 3
Colombo: 41
Fazenda Rio Grande: 5
Itaperuçu: 1
Lapa: 2
Mandirituba: 1
Pinhais: 23
Piraquara: 14
Quatro Barras: 2
Quitandinha: 1
Rio Branco do Sul: 7
Rio Negro: 1
São José dos Pinhais: 21

No litoral do Estado, que integra a 1ª Regional de Saúde, há registros em 2 municípios:
Antonina: 1
Matinhos: 1

No interior há casos:
3ª Regional de Saúde:
Castro: 2
Ponta Grossa: 1

4ª Regional de Saúde:
Irati: 5
Mallet: 3

6ª Regional de Saúde – União da Vitória:
Cruz Machado: 2
General Carneiro: 1
Paula Freitas: 3
São Mateus do Sul: 1
União da Vitória: 12

15ª Regional de Saúde – Maringá:
Maringá: 3

17ª Regional de Saúde – Londrina:
Londrina: 8
Rolândia: 1

19ª Regional de Saúde – Jacarezinho:
Carlópolis: 6
Jacarezinho: 6

20ª Regional de Saúde – Toledo:
Marechal Cândido Rondon: 1
Toledo: 1

Em municípios das regionais de Saúde: 5ª RS Guarapuava, 7ª RS Pato Branco, 8ª RS Francisco Beltrão, 9ª RS Foz do Iguaçu, 10ª RS Cascavel, 12ª RS Umuarama, 13ª RS Cianorte, 14ª RS Paranavaí, 16ª RS Apucarana, 21ª RS Telêmaco Borba e 22ª RS Ivaiporã, há casos que ainda estão em investigação.
Apenas duas regionais, 11ª RS Campo Mourão e 18ª RS Cornélio Procópio, não têm casos notificados de sarampo, ou seja, não existem pacientes em investigação nem confirmações.

PREVENÇÃO – As doses da vacina estão disponíveis gratuitamente nas unidades básicas de saúde de todos os municípios do Estado. A Sesa recomenda que as pessoas levem um documento de identificação e a carteira de vacinação até a unidade. Caso não tenha a carteira de vacinação, não há problema, a pessoa será vacinada da mesma forma e receberá uma nova carteira de vacinação. O esquema vacinal do Ministério da Saúde recomenda que a população com idade entre um a 29 anos deve receber duas doses da vacina tríplice viral e de 30 a 49 anos, uma dose.

O Ministério da Saúde disponibilizou também a vacinação para os bebês de seis a onze meses, que é a chamada “Dose Zero”. O calendário nacional de vacinação indica que aos 12 meses de vida a criança deverá receber a primeira dose da tríplice viral e a segunda dose deverá ocorrer aos 15 meses de vida com a vacina tetraviral, que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora.
Confira outras informações do calendário acessando o link: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/vacinacao/calendario-vacinacao

Portal Guaíra com informações da SESA