(Foto: Américo Antonio/Sesa)

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou por meio de exames de biologia molecular realizados pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen-PR) e Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) o primeiro caso de paciente com Covid-19 e dengue ao mesmo tempo. Os exames confirmaram co-detecção pelos vírus Sars-CoV-2 (Covid-19) e Denv-2 (dengue sorotipo 2).

A co-detecção foi confirmada em paciente do sexo masculino, de 31 anos, residente no município de Ortigueira, área da 21ª Regional de Saúde, de Telêmaco Borba. O paciente foi internado para o tratamento da Covid-19, mas concomitantemente foi realizada coleta de amostra para exame da dengue, que também positivou, porém sem sintomas de agravamento, para a segunda doença. O homem já teve alta hospitalar e está bem.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O caso foi detectado pela Unidade Sentinela Arboviroses, localizada em Ortigueira, e a confirmação aconteceu por meio de exames RT-PCR, considerado método “padrão ouro” para avaliação das duas doenças. Esse método identifica o material genético com alta sensibilidade e especificidades de análise.

“Destacamos a importância do trabalho das 60 Unidades Sentinelas implantadas estrategicamente pela Secretaria da Saúde em todas as regiões do Estado para vigilância e detecção das arboviroses como dengue, zika, chikungunya e febre amarela”, disse o secretário Beto Preto.

Segundo ele, estas unidades realizam cerca de 300 coletas semanais com exames PCR e, assim, conseguem identificar a circulação viral em cada região. Por isso as unidades são chamadas de sentinelas.

“Diante desta confirmação, reforçamos mais uma vez a necessidade de intensificar os cuidados de prevenção da Covid-19 evitando aglomeração, usando de máscara e higienizando as mãos com água e sabão ou usando de álcool gel 70%, e também os cuidados de prevenção da dengue, com a eliminação pontos que possam acumular água parada nos domicílios”, destacou Beto Preto. “Estes pontos podem se transformar em criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença”.

O médico da Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde Enéas Cordeiro de Souza Filho explicou que neste primeiro caso de co-detecção o paciente chegou a ser internado e agora está em recuperação. “Nosso alerta é para que a população não baixe a guarda, tanto com a Covid-19 como com a dengue, intensificando os cuidados de prevenção, pois uma co-infecção pode trazer graves complicações para a saúde”, afirmou.

Portal Guaíra com informações da AEN