Uma das muitas descobertas da adolescência é a necessidade de consultar um médico especialista no sistema reprodutor feminino: o ginecologista. Isso porque é nessa fase que acontece a menstruação e, mais tarde, a primeira relação sexual, fazendo com que essa parte do corpo gere curiosidade e cuidados específicos. O ginecologista Augusto Bussab explicou como é a primeira consulta e tirou as principais dúvidas sobre ela:

medico-paciente

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A hora de ir ao médico

Embora seja comum determinar a primeira menstruação como o marco para a primeira visita ao ginecologista, Dr. Augusto diz que não precisa ser assim. “É importante que a paciente esteja à vontade”, explica. Afinal, mais do que examinar, a primeira consulta é mais um tira-dúvidas. Portanto, nada será esclarecido se você não perguntar tudo o que sempre quis saber. Hora de deixar a vergonha de lado, ok?

Bate-papo

A primeira consulta é, na maioria das vezes, uma conversa. É nela que o médico explica como é o ciclo menstrual, como usar métodos contraceptivos (incluindo a camisinha e a pílula anticoncepcional), mitos e verdades sobre a primeira relação sexual e a importância de se prevenir contra a doençassexualmente transmissíveis, as DST’s. Depois da primeira relação sexual, as questões costumam ser um pouco diferentes. Bussab conta que dúvidas quanto a “pílula do dia seguinte”, secreções e a relação sexual em si mais frequentes  as pacientes, mais desinibidas.

Com quem eu vou?

Dr. Augusto acredita que a melhor companhia para esse momento é a mãe. Mesmo que você tenhavergonha de contar algumas coisas, o médico aconselha que o melhor a fazer é tratá-la como sua “melhor amiga”. Ainda assim, caso haja um desconforto, um acordo pode ser feito para que, em um momento da consulta, a mãe deixe a sala para que você possa tirar suas dúvidas.

Mesmo assim, é importante lembrar que, caso o ginecologista ache necessário examiná-la, é legal quesua mãe acompanhe o procedimento, principalmente se você for menor de idade!

Exames

Caso você não tenha nenhum tipo de secreção ou alteração antes da primeira relação sexual, é a partir desse momento que os exames começam a ser feitos. O mais comum no início da vida sexual é opapanicolau, que auxilia na prevenção do câncer no cólo do útero e na identificação de doenças sexualmente transmissíveis como o HPV. Lembre-se de que esse exame deve ser feito todo ano depois que você der início a uma vida sexual ativa. Prevenção é tudo!

Fonte: Astral Love!