ad

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) do Paraná confirmou, na quinta-feira (20), que foram registrados 13 casos de sarampo no estado em 2019.

Quatro novos casos foram confirmados desde o boletim anterior, do dia 13 de setembro. Dois em Maringá, no norte do Paraná, um em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, e outro em Curitiba.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo a Sesa, em todas as ocorrências, a doença foi contraída em outros estados e importada para o Paraná.

Mesmo assim, o avanço do sarampo no estado é preocupante, segundo o secretário de Saúde, Beto Preto. “A circulação do vírus está acontecendo e ampliando o seu território no estado. Por isso é importante estar vacinado”, afirmou.

Crianças a partir de seis meses devem ser vacinadas contra o sarampo
O estado do Paraná estava há 20 anos sem registrar casos de sarampo.

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, são 3.339 casos confirmados em 16 estados.

Vacinação contra o sarampo
A vacina contra o sarampo está disponível de graça nas unidades de saúde de todo o estado.

A Sesa ressalta que a vacina não deve ser aplicada em crianças menores de seis meses, gestantes e pacientes imunodeprimidos ou com reação alérgica grave após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina.

É recomendado também, conforme a secretaria, um intervalo de 30 dias após a vacina para as mulheres que querem engravidar.

Sintomas da doença
Os sintomas mais comuns do sarampo, segundo a Sesa, são:
– febre alta;
– dor de cabeça;
– manchas avermelhadas na pele;
– tosse;
– coriza;
– conjuntivite

Como não existe tratamento específico para o sarampo, é importante ficar atento caso alguém com quem teve contato fique doente.

Portal Guaíra com informações do G1