O Paraná vai iniciar neste fim de semana, como parte da campanha Vacina Paraná de Domingo a Domingo, um mutirão para aplicar a segunda dose contra a Covid-19. A meta do Governo do Estado é garantir a imunização por completo de 633 mil paranaenses nos próximos 20 dias, de acordo com o escalonamento feito a partir da data da aplicação da primeira dose. O quantitativo representa 5,5% do total da população do Paraná.

De acordo com a bula dos medicamentos, o intervalo de aplicação entre doses é de até 28 dias no caso da vacina CoronaVac (Sinovac/Instituto Butantan) e de três meses para a AstraZeneca (Oxford/Fiocruz). A orientação para a população é procurar a secretaria municipal de Saúde para confirmar os locais da campanha de imunização.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Os conjuntos vacinais já foram disponibilizados para os 399 municípios do Estado. Na semana passada, como parte da 11ª remessa enviada pelo Governo Federal, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) distribuiu 494.149 doses voltadas exclusivamente para a segunda aplicação. Foram 33.250 da AstraZeneca destinadas a trabalhadores da saúde e 460.899 da CoronaVac, essas divididas em três faixas do grupo prioritário: trabalhadores de saúde (21.212 doses), pessoas de 75 a 79 anos (186.137 doses) e pessoas de 70 a 74 anos (253.550 doses).

Já nesta semana, as cidades começaram a receber um novo lote da proteção contra o coronavírus. Mais 139.350 também para a segunda aplicação, entre AstraZeneca (53.250 doses) e CoronaVac (86.100) doses. No total, de acordo com a Sesa, são 633.499 conjuntos vacinais para serem usados no reforço do processo.

“É a aplicação desta segunda dose que vai garantir o fechamento do ciclo e a imunização por completo. Precisamos que as pessoas que tomaram a primeira dose verifiquem na carteira de vacinação a data que precisam voltar ao posto de saúde para receber a segunda dose”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“São mais de 600 mil vacinas que serão aplicadas nos próximos dias, intensificando a nossa campanha de domingo a domingo. Não podemos parar. Não queremos vacinas no estoque, mas sim no braço dos paranaenses”, completou.

IMPORTÂNCIA – O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, ressaltou a importância da dose complementar. Segundo ele, as duas vacinas disponíveis para o Brasil neste momento precisam da aplicação dupla para garantir a proteção. E, das dez vacinas aprovadas em todo mundo para uso definitivo ou emergencial, só uma (Johnson & Johnson) não exige uma vacinação extra. “A segunda dose é um reforço, uma forma de estimular o corpo a produzir um número ainda maior de anticorpos”, explicou.

Ele lembrou ainda que é justamente o encerramento do ciclo que vai fazer com que o sistema de saúde fique menos pressionado em relação a leitos para o tratamento da doença – desde fevereiro deste ano o Paraná convive com uma taxa de ocupação acima de 90%. “São os idosos que mais demandam internamentos e também os que mais morrem em virtude do vírus. E é justamente essa faixa de idade que pode receber a segunda dose agora e garantir a proteção completa”, afirmou Beto Preto.

CALENDÁRIO – A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Maria Goretti David Lopes, ressaltou que é fundamental o registro do vacinado durante o primeiro ciclo, o que garante o recebimento da segunda dose no período correto. “A partir da aplicação da segunda dose as pessoas estarão mais protegidas contra a Covid-19 e para isso destacamos que é fundamental o registro da primeira vacina recebida”, afirmou.

VACINAÇÃO – O Paraná recebeu até o momento do Ministério da Saúde 12 remessas de vacinas contra a Covid-19. No total foram 2.495.350 conjuntos vacinais.

Até o início da tarde desta sexta, de acordo com o Vacinômetro da Secretaria da Saúde, 1.256.468 moradores do Estado haviam recebido pelo menos a primeira dose do imunizante (94,9% das doses), e 320.344 (42,4%) já completaram a imunização com a segunda.

Em números gerais, Curitiba (239.665), Londrina (79.577), Maringá (53.189), Cascavel (40.872) e Ponta Grossa (35.604) foram os municípios que mais aplicaram a primeira dose. Em relação à segunda dosagem, Curitiba aplicou 66.314 vacinas, seguida por Londrina (20.771), Maringá (15.274), Cascavel (15.127) e Ponta Grossa (8.807).

Portal Guaíra com informações da AEN