Caso suspeito de infecção do Novo Coronavírus foi notificado em Ponta Grossa segundo informações repassadas à Secretaria da Saúde do Paraná nesta segunda-feira (10).

Trata-se de um menino de sete anos, morador do município, que esteve em janeiro no sul da China, em Taishan (Guangdong).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O Paraná já teve outros dois casos suspeitos do novo coronavírus, em Curitiba, que fora descartados depois de exames laboratoriais específicos para o vírus.

Em todo o País, o Ministério da Saúde investiga sete casos suspeitos: Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), São Paulo (3), Paraná (1) e Rio Grande do Sul (1). São quatro casos a menos se comparado ao informe anterior.

Apesar de permanecer sem registro do novo coronavírus, que já atinge 24 países além da China, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirma que o momento agora é de vigilância e de planejamento de diferentes cenários.

“Temos que trabalhar desde o cenário super otimista, de que não teremos casos, o realista, que é o que tem probabilidade de ocorrer, e o pessimista, que é ter uma epidemia global”, ressaltou. Mandetta afirmou que pela grande circulação de pessoas no mundo, é difícil saber como será a linha do tempo. “O cenário pode mudar muito rápido, por isso a manutenção da vigilância está extremamente elevada”, disse.

O ministro da Saúde afirmou ainda que irá ao Paraguai no dia 19 de fevereiro para uma reunião com os ministros da saúde do Mercosul sobre o novo coronavírus. “O Brasil tem 17 mil quilômetros de fronteiras. É muito importante que esses países tenham sistema de vigilância para bloquear possíveis casos”, disse Mandetta.

Na última passada, em parceria com a Fiocruz e a Opas, foi realizada a capacitação dos profissionais de laboratórios de nove países (Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador e Panamá). “Esses países levaram a tecnologia na identificação do novo coronavírus. O Brasil tem se colocado à disposição desses países, adotando todas as orientações que a Organização Mundial da Saúde recomenda, seguindo o que há de mais atual na ciência sobre esse tema”, ressalta o ministro.

Orientação
São considerados suspeitos e devem procurar as unidades de saúde pessoas com sintomatologia respiratória, incluindo febre, tosse e dificuldade para respirar, e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local (China) nos últimos 14 dias ou ter tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados da doença.

Portal Guaíra via Assessoria