O Paraná ultrapassou nesta semana a marca de 1.000 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos e conseguiu garantir com o Ministério da Saúde a reabilitação de 473 leitos (adultos e pediátricos) e a habilitação de mais 303 leitos de UTI nos próximos meses. Em visita a Curitiba nesta semana, o ministro interino Eduardo Pazuello também disse que novos medicamentos anestésicos para intubação de pacientes chegarão ao Estado em breve.

O governo também apresentou uma proposta para alocar R$ 100 milhões no caixa da Secretaria de Saúde no ano que vem para aquisição de vacinas contra o novo coronavírus. A iniciativa assegura recursos para a compra futura do imunizante.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Diante dos impactos da pandemia, o governador sancionou a lei que permite o parcelamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor (IPVA) de 2020. A medida é inédita no Estado. Até então, o parcelamento da dívida do IPVA só era possível no exercício seguinte ao vencimento. Basta entrar no site da Secretaria da Fazenda e fazer a solicitação.

A semana também foi marcada pela continuidade dos investimentos em moradias populares. Foram abertas as inscrições para integrar os condomínios de idosos de Francisco Beltrão e Foz do Iguaçu, entregues casas em Lupianópolis e Santa Mariana, e autorizadas construções em Mariluz, Santa Cruz de Monte Castelo e Querência do Norte.

CORONAVÍRUS
1.000 leitos
O Paraná chegou nesta semana a 1.017 novos leitos de UTI para adultos na rede exclusiva de atendimento contra o novo coronavírus. A estrutura atual representa aumento de 76,5% em relação ao estoque de antes da pandemia, que era de 1.329 leitos. As UTIs foram montadas em apenas 130 dias e a previsão é alcançar 1.241 leitos em agosto, o que faria o Estado praticamente dobrar a oferta de unidades avançadas no Sistema Único de Saúde (SUS). Todos contam com respiradores, ventiladores e os sistemas de gases.

Leitos em Londrina
O Governo do Estado entregou 57 leitos para o Hospital Universitário de Londrina. São 32 leitos de UTI (20 adulto e 12 pediátrico) e 25 leitos de enfermaria exclusivos para pacientes da Covid-19. O Hospital é vinculado à Universidade Estadual de Londrina e conta com 80 leitos UTI e 121 leitos de enfermaria. A nova estrutura funciona como Hospital de Retaguarda para 97 municípios da região Norte.

Visita do ministro
O Ministério da Saúde garantiu que vai ampliar as parcerias com o Governo do Paraná e atender várias demandas encaminhadas para a União pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior para reforçar o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus no Estado. Após reunião no Palácio Iguaçu, o ministro interino Eduardo Pazuello assegurou a renovação da habilitação de 438 leitos de UTI e 35 leitos de UTI pediátrica que estão sendo utilizados pelos hospitais paranaenses. Ele também se comprometeu a enviar para o Paraná medicamentos anestésicos para intubação dos pacientes em tratamento intensivo por causa da Covid-19.

R$ 100 milhões para vacinas
O Governo do Estado apresentou uma emenda ao projeto de lei 248/2020, que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2021, para alocar R$ 100 milhões no caixa da Secretaria de Saúde para aquisição de vacinas contra o novo coronavírus. A iniciativa assegura recursos para a compra futura da medicação, que atualmente passa por fase de testes de eficácia em estudos de diversos laboratórios.

Parcerias para vacinas
O Paraná poderá se tornar parceiro da Rússia na produção da vacina contra o novo coronavírus. O medicamento está em fase final de testes naquele país. A cooperação técnica foi tratada durante reunião, em Brasília, entre o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov. Em outra frente, o Governo do Estado trabalha com a Embaixada da China na testagem e produção da Coronavac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech. Nos próximos dias, o embaixador e sua equipe também terão uma conversa com o governador para definir a operacionalização da testagem de vacina.

Suspensão das eletivas
A Secretaria de Saúde voltou a suspender a realização de procedimentos cirúrgicos eletivos ambulatoriais e hospitalares em todas as unidades hospitalares do Estado. A Resolução 926/2020 estabelece que apenas cirurgias de urgência e emergência devem ser realizadas. O objetivo é evitar o uso de medicamentos anestésicos e relaxantes musculares.

Pesquisa I
Pesquisadores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) deram início a duas importantes pesquisas sobre o novo coronavírus. O objetivo é compreender a interação do Sars-Cov-2 com o organismo e seu comportamento na sociedade, assim como as taxas de transmissibilidade. A primeira visa estudar o contágio. A UEM é a única universidade representando o Sul do Brasil no estudo, que é de âmbito nacional. Pesquisadores da instituição também integram a pesquisa Abordagem genômica para investigar variações genéticas do Sars-CoV-2 (coronavírus) e no hospedeiro humano.

Pesquisa II
Outra pesquisa da UEM está analisando se produtos naturais podem ser usados no combate ao coronavírus. Conduzida pelo professor doutor Flavio Seixas, o estudo busca identificar substâncias que bloqueiem as enzimas responsáveis pela multiplicação do vírus. Ele se multiplica no organismo por meio de estruturas específicas chamadas de enzimas. A estratégia é encontrar substâncias que se ligam seletivamente a estas enzimas para inativá-las e com isso impedir a multiplicação e a progressão da doença.

EPIs
A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho repassou mais de 22 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) ao Asilo São Vicente de Paulo e ao Recanto do Tarumã, instituições que atendem idosos em Curitiba. Os materiais – máscaras TNT e N95, luvas, toucas, óculos de proteção, álcool em gel e aventais – foram adquiridos com recursos do Fundo Estadual dos Direitos do Idoso.

Portal Guaíra com informações da AEN