Nem mesmo com o valor da moeda americana lá em cima R$ 2,26 no cambio brasileiro, afastou os turistas de Salto del Guairá.

Nesta sexta-feira (12) o movimento voltou a alegrar os comerciantes – que dependem muito dos compristas de todo o Brasil – do lado paraguaio.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Pra quem mora mais próximo como Guaíra e Mundo Novo, sempre que sobra um tempinho atravessam a fronteira, mesmo que pra comprar coisas mais básicas.

Já aqueles que vem de cidades mais distantes como Umuarama, Maringá, Londrina e muitas cidades de São Paulo, este período de férias se torna uma boa opção pra sair às compras.

Não se iludam os que acham que os preços estão muito abaixo do esperado, afinal, o cambio do outro lado do rio Paraná, é diferente do nosso. Um exemplo foi o dia de hoje, onde o cambio girou entre R$ 2,30 a R$ 2,44 dependendo da loja.

Nos próximos dias, estaremos postando fotos da movimentação das estradas, entrada e saída do Paraguai e também alguns valores praticamos pelas mais famosas lojas do Salto.

Se quiser nos enviar suas fotos, não esqueça de dizer seu nome, onde a mesma foi tirada (entrando no Paraguai, saindo, proximo a Ponte pelo lado paranaense ou sul-mato-grossense e a hora que tirou a foto) para [email protected].

Mas se quiser enviar por SMS ou nos adicionar no WhatsApp (45) 8433-8997.

Confira as imagens desta sexta (12):

1. Essas imagens foram enviadas pela Morgane Cristofori (Guaíra), por volta das 11h30. Vejam que a fila seguia longa próximo a rotatória que dá acesso a ponte Ayrton Senna

2. Já nessas imagens enviadas pela Isabel Catarina (Guaíra), mostra dois momentos. Primeiro o flagra de um caminhão tombado hoje pela manhã no “pé” da ponte Ayrton Senna – lado Mato Grosso do Sul

3. E agora, também registrado pela Isabel Catarina (Guaíra), a volta pro Brasil (lado paraguaio chegando ao Posto Fiscal brasileiro). Segundo as informações descritas pela leitora do Portal Guaíra, levaram em média 2 horas para sair do Paraguai – entre 18h e 20h. Mas o que chamou a sua atenção, foi o fato que sempre que repete quando acontece congestionamento. Os motoristas mais afoitos não querem ficar na fila e entram na contra mão, seguem em alta velocidade mesmo com crianças e adultos que ficam em beira as estradas para oferecer algum produto. Imprudência total – em sua maioria praticada por brasileiros – que poderá até causar acidentes. Fica o alerta.