A mulher de 34 anos, envolvida no acidente de trânsito na BR-386, em Lajeado, na tarde desta segunda-feira (18), teve o pedido de prisão solicitado pela Polícia Civil de Lajeado, no Rio Grande do Sul.

Conforme a responsável pela Delegacia Regional, Shana Luft Hartz, a polícia aguarda agora pela análise do Poder Judiciário para que então a prisão seja decretada.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O fato se deu após circular por grupos de WhatsApp, na tarde desta segunda-feira (18), um vídeo mostrando o relato da mãe informando que iria tirar a vida dela e da própria filha, inclusive pedindo para que a menina se despedisse do pai.

A delegada confirmou a relação das imagens com o acidente e diz que pela gravidade do que é retratado, tendo uma mãe comunicando um eventual suicídio dela e da filha, o vídeo tomou uma proporção muito grande. “A menina concorda com a mãe porque não sabe do que está sendo tratado, mas quando ela fala do que está sendo tratado, ela recusa, porque dai consegue entender e não quer de despedir do pai”.

A batida aconteceu nas proximidades da empresa Rabaioli Compagnoni, junto ao km 344 da rodovia, por volta das 14h50 desta segunda-feira (17).

O Corpo de Bombeiros precisou fazer o uso do desencarcerador para retirar a vítima, de 34 anos, do interior do veículo.

Ela foi socorrida inconsciente e encaminhada, pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), para atendimento hospitalar.

A criança de 2 anos, que estava na carona do Fiat Uno, emplacado em Cruzeiro do Sul, sofreu lesões leves, passou por atendimento médico e já recebeu alta. “O acidente envolveu três veículos, o carro dirigido por esta mãe com a criança que colidiu de frente com um caminhão e atingiu um terceiro veículo. Olhando as fotos do acidente, a gente fica impressionada com a não lesão da menina, que sofreu apenas arranhões”, relata.

Já mulher, que sofreu ferimentos com gravidade, foi levada ao Hospital Bruno Born (HBB) de Lajeado e transferida às 23h30 desta segunda-feira (17) para o HPS de Canoas. “Analisando os fatos no plantão, foi registrada a ocorrência por tentativa de homicídio em relação a criança e solicitada a prisão preventiva assim que ela sair do hospital”, ressalta.

Conforme a delegada, a decisão da mulher, em tentar tirar a vida dela e da filha, teria se dado após ter conhecimento sobre um novo relacionamento do pai da criança e não ter aceitado, inclusive comunicando outros familiares de que faria o homem sentir a dor que ela estava sentindo.

“Ela será enquadrada na tentativa de homicídio qualificado, primeiro porque é mãe, segundo pelo motivo fútil, pois ela não concorda com o fim do relacionamento e para punir o pai quer lesionar a filha”, explica. Ainda segundo a polícia, a mãe não tinha histórico de doenças associadas com depressão. “É uma coisa que impacta, não é comum ver a pessoa atentar contra a vida do filho, o normal é a mãe tentar proteger o filho, o que não é o caso, infelizmente”, destaca. A investigação do caso seguirá sendo realizada pela Polícia Civil e alguns familiares já foram ouvidos, inclusive o pai da criança.

Assista o vídeo clicando aqui.

Portal Guaíra com informações do Grupo Independência