(Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

O governador reeleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que irá assumir a presidência do PSDB a partir de fevereiro de 2023.

“Informei ao presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, nesta quarta-feira (30/11) que aceitei o convite para presidir o partido no qual milito desde os meus 16 anos”, afirmou em nota.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Também em nota, a assessoria do partido informou que no dia 2 de fevereiro de 2023, com a posse do novo Congresso, serão iniciados os trabalhos de sua nova Executiva Nacional.

A previsão é de que Leite vá a Brasília na próxima semana para tratar dos detalhes de como será conduzida a montagem da nova Executiva. O cargo será assumido apenas em fevereiro para que Leite possa se concentrar “nos movimentos iniciais” da sua prioridade do momento: o governo do Rio Grande do Sul.

O tucano se pronunciou no Twitter logo após o anúncio do partido. Na rede social, ele diz considerar “importante para o Brasil que se recupere a força de um centro político com agenda capaz de conciliar a urgência de políticas sociais de impacto, que promovam a igualdade de oportunidades, com a essencial responsabilidade fiscal e a modernização da máquina pública”.

Ainda na publicação, Leite apontou que no “centro democrático” deve haver respeito à divergência, evitando a “superficialidade do radicalismo”. Ao final, pontuou a necessidade de um caminho alternativo à polarização da última eleição.

Além disso, Leite disse que atenderá o chamado feito por lideranças de seu partido “em condição e formato que não prejudiquem a atuação que os gaúchos esperam” do governador do estado.

Reeleição em 2022
Em vitória no segundo turno contra Onyx Lorenzoni (PL), Eduardo Leite quebrou tradição do estado que, desde 1998, quando a reeleição passou a ser permitida para cargos do Executivo, não conduziu nenhum governador a um segundo mandato consecutivo.

O tucano teve 57,12% dos votos. Eleito governador em 2018, renunciou ao cargo em abril deste ano para concorrer à Presidência da República, fato que não se concretizou. Em janeiro de 2023, retorna ao posto.

Portal Guaíra com informações da CNN