Um dos donos da boate Kiss, que pegou fogo no domingo (27) em Santa Maria (RS) e deixou ao menos 231 mortos, afirmou, em depoimento à Polícia Civil, que sabia que o alvará de funcionamento estava vencido, mas que já havia pedido a renovação. Elissandro Calegaro Sphor também culpou a banda Gurizada Fandangueira pelo início do incêndio, segundo o delegado Sandro Meinerz.

Kiko Sphor, proprietário da boate Kiss

Sphor, conhecido como Kiko, compareceu espontaneamente à sede da 1ª Delegacia da cidade no domingo (27) para dar sua versão dos fatos. Ele foi preso nesta segunda (28) após ter a prisão temporária decretada. Além dele, dois integrantes do grupo musical também foram presos. Um outro dono da boate é considerado foragido.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O dono da boate Kiss também negou tenha ordenado aos seguranças que impedissem a saída dos jovens da festa na hora que o fogo começou. Sphor, que estava na boate quando a tragédia ocorreu, negou ainda ter retirado do local o computador que armazenava as imagens gravadas pelas câmeras de segurança da boate. O gravador sumiu do local, segundo Meinerz, responsável pelo caso.

Veja também
Vídeo com imagens fortes do incêndio na boate Kiss em Santa Maria
Novo vídeo mostra o trabalho dos bombeiros para salvar as pessoas na boate Kiss