Uma comitiva do Ministério da Saúde aterrissou às 15h de sábado na Base Aérea de Santa Maria (BASM) trazendo o antídoto contra os efeitos do gás cianeto, inalado por sobreviventes da tragédia na boate Kiss, na madrugada do dia 27 de janeiro.

Do total de 140 kits do medicamento que chegaram ao Brasil, 64 foram destinados a pacientes de Santa Maria internados em UTIs dos hospitais de Caridade e Universitário.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Inicialmente, o antídoto seria usado em 20 pacientes. De acordo com a coordenadora da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde, Ilse Melo, ainda será feita uma avaliação dos quadros de saúde para verificar se outros pacientes vão precisar do remédio.

Caixas com o remédio chegaram na tarde deste sábado no Hospital Universitário de Santa Maria
Caixas com o remédio chegaram na tarde deste sábado no Hospital Universitário de Santa Maria

O material não é produzido no Brasil. Foi buscado nos Estados Unidos, onde este tipo de gás — produzido durante a queima da espuma que estava no teto da boate e inalado durante o incêndio — é usado com condenados à pena de morte.

Antes de chegar à Santa Maria, o avião Legacy da Força Aérea Brasileira que trouxe o antídoto parou na Base Aérea de Canoas por volta das 13h. Na Grande Porto Alegre, 18 pacientes devem receber doses da medicação.

O medicamento chegou ao país no voo 243, vindo de Saint Louis. O hidroxicobalabima, como é chamado o medicamento, serve como um antídoto para o cianeto, elemento químico venenoso depositado no corpo dos jovens que aspiraram a fumaça tóxica contendo ácido cianídrico. A carga foi doada pelo governo norte-americano, a partir de pedido encaminhado pelo Ministério da Saúde.

Às 10h20min, os kits passaram pela alfândega, sendo inspecionados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O medicamento

A Hidroxicobalamina (vitamina B12 injetável) é indicada para o tratamento de intoxicação por cianeto — gás tóxico ao sistema respiratório.

Cada kit de Hidroxicobalamina possui 5g e o medicamento é aplicado de forma intravenosa. A expectativa é de que a quantidade seja suficiente para anular os possíveis efeitos tóxicos do cianeto no organismo.