A carioca Paula dos Santos Escudero Alvarez, de 32 anos, afirmou ao G1 que entrou no grupo de “exceção da exceção” ao parir o pequeno Bernardo, no último domingo (4). Ela é considerada um caso raro já que fazia uso de um dispositivo intrauterino (DIU), usado para evitar a gravidez.

Ela saiu da maternidade e chegou em casa nesta quarta-feira (7). Antes de sair, tirou a foto com o recém-nascido, seu marido e o filho mais velho, que nasceu quando ela usava pílula anticoncepcional.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Na primeira gestação, eu engravidei e fazia uso de pílula. Nasceu o Gabriel, que tem 3 anos e meio. Agora, no final do ano passado, eu engravidei do Bernardo. Eu fazia uso de outro método para gente tentar programar a gestação. Mas o Bê veio de surpresa”, contou.

“Foi a exceção da exceção. Fui a porcentagem pequena de quem faz uso da pílula e pode engravidar e a porcentagem pequena de quem usa o DIU e engravida também. Graças a Deus, as duas gestações deram certo. Todos nasceram perfeitos para tranquilizar a todos. Deu tudo certo”, completou Paula.
A mamãe contou ainda que o dispositivo estava na posição correta.

“Eu fazia o acompanhamento certinho do posicionamento do DIU. A ultrassom eu tinha feito 3 meses antes de engravidar. Quando eu fiz a ultra para saber se realmente eu estava grávida, o DIU estava na posição certinha”, disse.

DIU tem excelente taxa de eficácia, diz especialista

A ginecologista e obstetra Flávia Fairbanks faz parte do Comitê Nacional de Sexualidade da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Ela afirmou que o DIU é um excelente método contraceptivo e a taxa de falha é mínima.

“O DIU é um excelente método contraceptivo, um dos mais usados do mundo inclusive. Ele é bastante eficaz. A taxa de eficácia é de 99,4%. Ou seja, a cada 100 mulheres que usam o DIU, mais de 99 não vão engravidar usando esse método. Mas existe uma taxa de falha 0,6% das mulheres, mesmo usando o DIU no lugar certo, ainda podem engravidar”, disse Fairbanks ao comentar o caso raro da carioca Paula.

Fotógrafa registra nascimento
O caso raro foi registrado no último domingo (4) pela fotógrafa Michelle Oliveira. Em uma rede social, ela registrou o parto do bebê Bernardo. O DIU, que saiu logo depois, foi colocado na mão do neném para a foto.

“Nesse fim de semana eu tive a graça de poder contemplar um milagre por meu olhar”, escreveu a fotógrafa.
“O Bom Deus quis que Bernardo nascesse, com 36 semanas de gestação, forte e perfeito – quebrando todos os paradigmas (o que faz jus ao significado de seu nome – forte como um urso)”, completou.

Portal Guaíra com informações do G1