O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou neste domingo (23) que repudia o que chamou de “ação armada” de Roberto Jefferson contra agentes da Polícia Federal e também as falas do ex-deputado contra a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia. Ele também disse repudiar a “existência de inquéritos sem nenhum respaldo na Constituição e sem a atuação do MP [Ministério Público]”.

O presidente afirmou, ainda, ter enviado o ministro da Justiça, Anderson Torres, ao Rio de Janeiro para acompanhar o episódio, que o presidente chamou de “lamentável”.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Repudio as falas do Sr. Roberto Jefferson contra a Ministra Carmen Lúcia e sua ação armada contra agentes da PF, bem como a existência de inquéritos sem nenhum respaldo na Constituição e sem a atuação do MP”, escreveu Bolsonaro.

“Determinei a ida do Ministro da Justiça ao Rio de Janeiro para acompanhar o andamento deste lamentável episódio.”

Na sequência, Bolsonaro apareceu em uma live, em que leu novamente a nota publicada no Twitter. Ao lado do ministro das Comunicações, Fábio Faria, o presidente negou que tivesse contato com Jefferson. “Não tem uma foto dele comigo, não tem nada”, disse.

O ex-deputado federal Roberto Jefferson teria disparado contra policiais federais que foram até sua casa, no interior do Rio de Janeiro, neste domingo (23), na tentativa de prendê-lo.

O próprio ex-deputado filmou o carro da Polícia Federal em frente à sua cara e enviou vídeos onde contou como foi a abordagem dos policiais. Ele afirma que atirou na direção deles.

As informações são da CNN Brasil