Projeto de lei de autoria do deputado federal Assis do Couto (PT-PR), transformando o Caminho do Colono em estrada-parque, será novamente apresentado na Câmara Federal. A explanação será feita no dia 20 de fevereiro pelo relator e deputado federal Nelson Padovani (PSC). Em contato telefônico, Padovani confirmou que pretende apresentar o relatório no fim do próximo mês, em Brasília. A Comissão Especial da Câmara dos Deputados, é presidida pelo deputado federal e líder do PSD em Brasília, Eduardo Sciarra. O deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB-PR) também faz parte da comissão especial.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

De acordo com a assessoria de Sciarra, a comissão aguarda agora a apresentação do relatório para dar continuidade aos trâmites envolvendo o projeto da estrada-parque. O relatório será apreciado e colocado em votação. Um dos membros da comissão parlamentar era o deputado federal Moacir Micheletto (PMDB), morto em acidente automobilístico há exatamente um ano, na PR-239, em direção a Assis Chateaubriand. Na época das audiências, Micheletto defendia a reabertura sem agressões ao meio ambiente.

Para os moradores das cidades de Serranópolis do Iguaçu, na região Oeste e de Capanema, no Sudoeste, essa comissão parlamentar é a última esperança no sentido de obter a reabertura da Estrada do Colono, um impasse civil e jurídico que já perdura por longos anos.

A Estrada do Colono corta 17,6 quilômetros do Parque Nacional do Iguaçu. Para ter acesso aos municípios, é preciso atravessar de balsa o rio Iguaçu. Várias audiências ocorreram em Brasília e até mesmo nas cidades de Serranópolis do Iguaçu e Capanema, reunindo centenas de pessoas, a maioria agricultores ainda otimistas com a possibilidade de reabertura do caminho. Muitos deles testemunharam inclusive uma megaoperação da Polícia Federal de fechamento da estrada em junho de 2001, culminando inclusive com confrontos e deixando alguns feridos, até crianças. A ação resultou também na detonação da balsa utilizada na travessia. Cercas e palanques de concreto foram instalados nas duas extremidades da estrada.

Fonte: Vandré Dubiela – O Paraná