ad

Um novo boletim com informações atualizadas sobre o incêndio no Parque Nacional de Ilha Grande foi divulgado pelo ICMBio no último sábado (17). Os dados são relativos ao trabalho realizado na sexta-feira (16) na unidade de conservação. A área atingida pela queimada chegou a quase 37 mil hectares – a extensão total do parque é de 76.138,19 hectares.

Conforme o boletim, a situação é considerada “dramática no combate ao incêndio no Parque Nacional de Ilha Grande devido às condições climáticas. Rajadas de mais de 40 km/h, próximo ao meio dia, mudaram todo o cenário previsto para o combate ao incêndio. As chamas que se deslocavam lentamente tomaram o sentido nordeste com grande força, atingindo condição extrema de propagação. Em menos de uma hora o fogo atravessou o aceiro da lagoa Saraiva onde a equipe se preparava para o combate. Por motivo de segurança bombeiros e brigadistas tiveram que deixar o local e foram recolhidos da área de risco”.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Não foram só os combatentes que tiveram as suas vidas resguardadas. Ao longo do combate ao incêndio, as equipes tem se deparado com alguns sobreviventes da fauna típica do parque e registrado a sua presença. São tamanduás, antas, cobras, muitos cervos, inclusive com filhotes e até um lobo Guará cuja ocorrência é prevista no plano de manejo na unidade, mas até então não havia registros em imagens”.

“O ecossistema do Parque Nacional de Ilha Grande e os incêndios que ali ocorrem possuem alto nível de agressividade e peculiaridades que dificultam o trabalho naquele ambiente. Apesar de todo o aparato disponível é uma região com extrema dificuldade e alta complexidade. Os acessos se dão apenas por embarcação ou aeronave, o terreno é instável e alagado, a vegetação não permite visual para equipe em solo e as labaredas podem alcançar de 10 a 12 metros de altura. Isso sem considerar quando alcançam as árvores. O calor é intenso o que cria um microclima que deixa o vento ainda mais forte e imprevisível. O cenário pode mudar de forma inesperada em instantes, exigindo ajustes drásticos no planejamento”.

O boletim segue informando que no momento, além da equipe de 65 pessoas que já estavam realizando o combate, o Parque Nacional do Iguaçu, também gerenciado pelo ICMBio, enviou mais 7 brigadistas para compor com a força tarefa de combate ao incêndio e um helicóptero para apoio logístico. A equipe do ICMBio que monitorava o fogo na frente norte da ilha Grande, deu por vencido o fogo e se deslocou para na frente sul de combate ao incêndio.

A força-tarefa conta agora, portanto, com uma equipe de 72 pessoas atuando diretamente num esforço conjunto envolvendo, além do ICMBio (órgão gestor da unidade) o Corpo de Bombeiros do Paraná e do Mato Grosso do Sul, Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul, Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas e o Coripa, consórcio intermunicipal que está coordenando o apoio logístico e articulando o apoio operacional das prefeituras de Altônia, São Jorge do Patrocínio, Icaraíma e Alto Paraíso.

As informações são do OBemdito