Em julgamento no Tribunal do Júri realizado em Santa Helena, no Oeste do estado, um homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná foi condenado a 33 anos e três meses de prisão por um homicídio duplamente qualificado e dois homicídios tentados, além de furto. As vítimas são três indígenas – dois irmãos e um amigo. Os crimes ocorreram em março de 2020.

Conforme a denúncia do MPPR, os indígenas saíam de um jogo de futebol no distrito de Diamante do Oeste quando um deles foi urinar, na rua, perto de uma residência. O dono do imóvel e outras pessoas teriam se revoltado com isso e armaram uma emboscada para os três.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Duas das vítimas foram derrubadas de uma moto a pedradas e depois agredidas a golpes de faca, mas conseguiram fugir. A terceira vítima, esta de homicídio consumado, foi verificar o que aconteceu ao irmão e acabou sendo surpreendido com uma pedrada na cabeça e depois esfaqueada. Depois da violência, o denunciado também pegou a moto das vítimas.

Dentre os envolvidos nos fatos, um deles já havia sido condenado pelo Tribunal do Júri, tendo sido o processo desmembrado. Desse modo, após a instrução do processo, o agente principal das agressões foi a Júri.

No julgamento, o Conselho de Sentença acolheu a tese de homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa da vítima e dois homicídios tentados, além de prática de furto simples. Foi determinado o cumprimento da pena em regime inicial fechado e multa, sendo conferido ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Portal Guaíra com MPPR