A Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu, confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos. A Informação foi repassada pela Secretaria de Saúde, na manhã de terça-feira (16).

Conforme a secretaria o paciente com caso confirmado da doença é um homem na faixa etária entre 20 e 29 anos, com histórico recente de viagem a São Paulo, dias antes de apresentar os primeiros sintomas. Veja características da doença mais abaixo.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A secretaria informou que o paciente está em bom estado de saúde e que cumpre isolamento domiciliar, sendo acompanhado por equipes da secretaria.

A pasta informou que aguarda o resultado de outros oito casos suspeitos da doença na cidade.

Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) disse que a atualização dos dados a nível estadual é feita semanalmente, sempre às quartas-feiras e, portanto, só haverá nova divulgação de boletim nesta quarta-feira (17).

O último levantamento, divulgado pela secretaria na semana anterior, aponta que o Paraná possuía 52 casos confirmados da doença, em quatro municípios: Curitiba, Maringá, Araucária e Cascavel.

Ontem, a Secretaria de Saúde de Londrina, no norte do Paraná, também confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos.

Saiba mais sobre a varíola dos macacos

A varíola dos macacos é uma doença provocada pelo vírus Monkeypox. A transmissão entre humanos ocorre, principalmente, por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas.

A infecção causa erupções que, geralmente, se desenvolvem pelo rosto e depois se espalham para outras partes do corpo.

Os principais sintomas envolvem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.

Em 21 de julho a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a varíola dos macacos emergência de saúde global. A resolução foi tomada, sem consenso, em reunião do Comitê de Emergência da Varíola dos Macacos.

Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a decisão foi tomada para melhorar a resposta internacional ao vírus, que se espalhou por mais de 75 países.

As informações são do G1