ad

[dropcap color=”#dd3333″]U[/dropcap]ma adolescente de Goioerê teve vídeos íntimos vazados na internet, através de um aplicativo de celular, e os amigos de escola receberam o vídeo, o que causou grande constrangimento a ela.

Para contornar a situação, a mãe da menina decidiu transferi-la de escola, mas esta semana o vídeo passou a circular também entre os alunos da nova escola que a aluna está frequentando.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Sem outra opção, a mãe da adolescente registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Goioerê, solicitando providências.

CRIME
O delegado de polícia de Goioerê, Anderson Romão, que está investigando o caso, salienta que a nova lei de importunação sexual, que está em vigor desde o final do mês de setembro, definiu o crime de compartilhar “nudes”, que prevê pena de prisão de um a cinco anos.

“Antes tínhamos de adaptar a legislação, agora está bem descrito esse crime” – salienta o delegado, frisando que o adulto que compartilha “nudes” sem o consentimento da vítima comete crime e o adolescente que faz o compartilhamento está cometendo ato infracional.

A orientação para quem recebe “nudes” é para não compartilhar em hipótese alguma, de preferência que apague do celular e comunique a polícia sobre o crime que está sendo cometido.

NÃO FAZER
Outra orientação do delegado Anderson Romão é para que as pessoas – adolescentes e adultos – não enviem nudes de jeito nenhum, e nem mesmo armazenem em seus celulares fotos íntimas próprias, uma vez que esse celular pode ser perdido ou extraviado, podendo cair em mãos de pessoas maldosas, que podem fazer circular essas fotos e gerar constrangimento e situações delicadas para o dono das fotos.

Portal Guaíra com informações do Goionews