Foto: Ilustração

[dropcap color=”#dd3333″]U[/dropcap]m adolescente de 13 anos, morador de Goioerê, teria cortado os pulsos depois de praticar o “Jogo do Momo” no WhatsApp. Não foram divulgados maiores detalhes sobre o caso, que ocorreu na última semana, para preservar a família e o adolescente. De acordo com informações extra-oficiais, o jovem não corre risco de vida.

A vítima foi atendida no Pronto Socorro e depois de alguns procedimentos, liberado para continuar o tratamento dos ferimentos em casa. O caso, que não teria sido o primeiro na região, preocupa pais, autoridades e profissionais de saúde.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O Conselho Tutelar e a Polícia Civil foram acionados. Segundo informações, este teria sido o segundo caso de adolescente hospitalizado em Goioerê, ferido depois de praticar o “Jogo do Momo”. Outros adolescentes da região estariam participando o jogo mortal. A situação preocupa pais, autoridades e profissionais de saúde.

De acordo com a psicóloga, Gisele Texdorf Martins, o episódio acende um alerta.

“Não faz muito tempo o ‘Jogo da Baleia Azul’ fez várias vítimas nessa mesma faixa etária. Os mais jovens podem ser facilmente influenciados pelas redes sociais. Os pais devem ficar alertas às mudanças de comportamento e também para as atividades das crianças e adolescentes nas redes sociais. Um bom diálogo pode ajudar muito. Quando há muita dificuldade em interagir com o jovem, comportamentos agressivos ou timidos demais, pode ser um alerta e o momento certo para procurar ajuda especialidada”, disse a profissional, que é especialista em Saúde Mental.

JOGO DO MOMO
Esse jogo começou no início do ano e disseminou no Brasil no segundo semestre deste ano, onde o participante tem de cumprir alguns desafios, que podem levar à automutilação e ao suicídio. O jogo “Momo do Whatsapp” começa quando a criança ou adolescente adiciona a “Momo” a algum dos seus grupos do aplicativo. A personagem é o avatar de uma mulher parecida com uma ave de olhos esbugalhados. Ela irá instruir os participantes do grupo a cumprirem certos desafios, entre os quais o último é cometer suicídio. Se os destinatários se recusarem a participar, eles são ameaçados com uma “maldição” ou “feitiço maligno”.

Informações não oficiais dão conta de que outros adolescentes estariam participando do “Jogo do Momo” em toda a região. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia de Goioerê, que investiga o caso.

Portal Guaíra com informações do Goionews