Um grupo de indígenas rendeu, amarrou e espancou um produtor rural de 68 anos em Douradina, interior de MS e distante 200 km da capital Campo Grande. Arnaldo Alves Ferreira, que também era policial aposentado, teve sua morte confirmada ao final da tarde de sexta-feira (12). Ele tinha uma pequena propriedade na cidade e já havia registrado conflitos fundiários com os indígenas anteriores ao que culminou em sua morte.

Segundo a polícia, João da Silva teria participado de crime (fotos: Osvaldo Duarte)
Segundo a polícia, João da Silva teria participado de crime (fotos: Osvaldo Duarte)

Presidente do Sistema Famasul, a Federação de Agricultura e Pecuária do estado, e diretor vice-presidente da CNA, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, Eduardo Corrêa Riedel, lamentou a omissão do Governo Federal nas questões fundiárias. Segundo Riedel, até que as autoridades tomem providências, produtores e indígenas continuarão sendo vítimas de violência.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em missão na China acompanhando lideranças políticas do MS, Riedel declarou através de sua assessoria que “o incentivo às invasões e o descaso das autoridades tornam produtores e indígenas vítimas de uma situação que gera insegurança e violência no campo e envergonha o país, um dos maiores produtores de alimentos do mundo. Enquanto o Governo Federal continuar tolerando as invasões como instrumento de pressão política, sem uma postura severa de punição por um ato constitucionalmente ilegal, continuaremos presenciando esse cenário lamentável de desrespeito, vitimando pessoas que estão na legítima defesa de sua propriedade”, completou.

O indígena responsável pelo crime, João da Silva, 51 anos, foi encaminhado para a Delegacia Civil de Douradina e prestará depoimento antes de ser autuado em flagrante pelo homicídio do produtor rural.

indigena-preso

Com informações de Dourados News e Sistema Famasul