ad

Um preso da cadeia de Toledo se comunica pelo Facebook com quem está do lado de fora, até mesmo movimentando o tráfico de drogas.

Na última segunda-feira (18), via celular, o rapaz fez um alerta a uma amiga pedindo a ela que não se esquecesse do “Chokito”, nome de um famoso chocolate usado pelos traficantes para se referir a cocaína.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Mais tarde uma nova postagem foi feita mandando um salve para alunos da faculdade de Toledo.

Também segundo a polícia a “Faculdade de Toledo” é a cadeia pública na linguagem dos bandidos.

A Polícia já identificou pelo menos quatro detentos da cadeia de Toledo que fazem uso regular da rede social Facebook para se comunicar e continuar as ações ligadas ao tráfico de drogas mesmo estado presos.

O delegado-chefe da 20ª SDP de Toledo, Donizete Botelho, desconhecia a comunicação dos presos através do Facebook, e ficou sabendo através de uma reportagem de TV. Ele disse que celular dentro da cadeia não é novidade.

Segundo o delegado a Cadeia de Toledo não dispõe ainda de equipamentos necessários para evitar os celulares.

“Já foi solicitado detector de metal, mas ainda não temos nada”, disse o delegado. Muitos celulares entram na cadeia escondidos no órgão genital das mulheres que fazem visitas íntimas aos presos. A partir de agora só estão permitidas visitas de parentes de primeiro grau ou de esposas que comprovem o casamento no papel.

Segundo o delegado os presos que curtem as redes sociais não vão passar despercebidos. Eles serão responsabilizados administrativamente com a possibilidade de transferência, afirmou Donizete Botelho.

Fonte: Catve