FLAVIO BOLSONARO (Foto: Divulgação)

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu decisão liminar na sexta-feira (4), que proíbe a TV Globo de exibir documentos sigilosos em suas reportagens sobre as investigações contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). As informações são do Poder360.

A decisão atende a pedido da defesa de Flávio. Deputado estadual de 2007 a 2018, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro é investigado por suposta participação em esquema de “rachadinhas” no seu antigo gabinete na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Acabo de ganhar liminar impedindo a #globolixo de publicar qualquer documento do meu procedimento sigiloso“, comemorou Flávio nas redes sociais.

O senador disse que a decisão da 1ª Instância visa a evitar o que chamou de “narrativas que parte da imprensa inventa para desgatar” à sua imagem e à do presidente Bolsonaro.

“Não tenho nada a esconder e expliquei tudo nos autos, mas as narrativas que parte da imprensa inventa para desgatar minha imagem e a do presidente Jair Messias Bolsonaro são criminosas. Juíza entendeu que isso é altamente lesivo à minha defesa. Querer atribuir a mim conduta ilícita, sem o devido processo legal, configura ofensa passível, inclusive, de reparação“, continuou o senador.

Nas últimas semanas, o Jornal Nacional trouxe detalhes sobre as investigações do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) contra Flávio. O principal telejornal da Globo mostrou, por exemplo, que a loja de chocolates que tem o senador como sócio recebeu 1.512 depósitos em dinheiro no período de 2015 a 2018. Depois, mostrou que Flávio Bolsonaro fez saques nas mesmas datas em que a loja recebeu os valores.

As informações são do site Poder360