ad

[dropcap color=”#dd9933″]D[/dropcap]etentor de uma dívida de R$ 57 milhões com a União, o deputado federal Alfredo Kaefer (eleito pelo PSDB e que está no PSL), na segunda-feira (15), contestou a informação de que seja o parlamentar mais rico entre os eleitos em 2014. O deputado disse que seu único patrimônio é a casa em que vive – localizada em Cascavel, no Oeste do Paraná – e que leva “uma vida espartana”. Kaefer reconhece seus débitos para com a União, mas espera regularizar a pendência milionária a partir da recuperação de seu conglomerado empresarial.

A Gazeta do Povo havia apontado Kaefer como o “parlamentar mais rico” do país, baseando-se nas declarações de bens entregues pelos próprios candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas eleições de 2014. O dado de 31 de julho de 2014 apontava que Kaefer havia declarado patrimônio de R$ 108,5 milhões – o maior entre os eleitos naquele pleito.

O parlamentar, no entanto, disse que em dezembro de 2014 a Justiça decretou a falência do Grupo Diplomata – indústria avícola da qual é um dos proprietários. A falência foi estendida a todas as suas empresas e, segundo o deputado, todos os seus bens – à exceção da casa em que vive – foram interditados, por meio de esbulho possessório. A cópia da declaração enviada pelo parlamentar à reportagem aponta que ele tinha patrimônio de R$ 1,3 milhão, em dezembro de 2016.

“O resumo da minha declaração de bens, hoje, é o seguinte: tenho a minha casa de moradia, que é meu bem de família e que ficou comigo. Todos [os bens] foram retirados da declaração por conta de uma decisão judicial”, disse Kaefer. “O juiz fez o esbulho de todas as minhas empresas e me deixou sem nada”, acrescentou.

À medida que viu seu patrimônio encolher, o deputado diz que foi forçado a alterar seu padrão de vida e chegou a passar dificuldades – ainda que não tenha sido “aquela dificuldade primária”. Do salário de deputado (de R$ 33,7 mil) ela alega que fica com “apenas uma parte”, já que a maior fatia ficaria retida pela Justiça.

“Eu me recolhi a uma vida totalmente espartana para conseguir viver com o salário de deputado”, disse. “Como parte vem sendo tomada [por decisão judicial], meu soldo tem sido de R$ 10 mil ou R$ 12 mil por mês”, acrescentou.

As informações são da Gazeta do Povo


CLINICA SALUTAR