A polícia da Índia deteve seis homens suspeitos de participar de um novo caso de estupro coletivo de uma mulher em um ônibus no país, dias após caso semelhante que comoveu o mundo.

A detenção mais recente aconteceu sábado à noite e se junta às outras cinco, ocorridas poucas horas depois do crime, cometido na noite de sexta-feira.

Um delegado da polícia do distrito de Gurdaspur, Janjit Singh, afirmou que os investigadores também estão perto de deter o sétimo acusado de violentar a mulher.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O caso ocorreu quando a vítima voltava para casa em um ônibus após visitar a casa de seus pais na região de Punjab, no norte da Índia.

De acordo com o relato da vítima, citado pela imprensa local, o motorista do veículo e outro funcionário da companhia de transporte não fizeram uma parada prevista, e o ônibus seguiu para um local fora da rota, onde pegou outros cinco homens.

Após estuprarem a mulher, os acusados a deixaram perto de sua casa, na cidade de Ghukla.

Este caso ocorreu em um momento de grande comoção da opinião pública do país asiático devido a outro semelhante ocorrido com uma jovem estudante de 23 anos, que morreu há duas semanas após ter sido estuprada por seis homens quando viajava em um ônibus em Nova Délhi.

O caso causou comoção no país e gerou uma série de protestos, alguns deles violentos. Milhares de indianos pediam ao governo reformas nas leis para aumentar a punição aos estupradores.

Cinco pessoas foram indiciadas pelo crime que causou a morte da jovem violentada.
O Escritório Nacional de Registro de Crimes revelou em 2011 que a cada 20 minutos uma mulher é estuprada na Índia, mas que em apenas um de cada quatro casos o criminoso é condenado, devido, segundo os analistas, à corrupção de policiais.