ad
imagem ilustrativa
imagem ilustrativa

Duas operações foram desenvolvidas pela delegacia da Polícia Federal de Guaíra nos municípios de Mercedes e Terra Roxa.

Em Mercedes, foram localizados 13 trabalhadores de origem paraguaia em um acampamento às margens da rodovia BR-163.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A situação que ficou caracterizada como trabalho escravo, foi levantada pela Polícia Rodoviária Federal, após denúncia feita pelo Dnit sobre a extração irregular de pedras.

Segundo a polícia Federal, os trabalhadores disseram que recebiam 50 reais por dia para recolher e quebrar pedras.

O empregador que não teve sua identidade informada e vai responder por trabalho escravo, oferecia alojamento e alimentação, que eram descontados do pagamento.

Os paraguaios não tinham registro em carteira e estavam em situação irregular no Brasil.

Eles foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal de Guaíra e agora tem o prazo de 3 dias para deixar o país.

Em outra situação denunciada, mais 25 paraguaios foram localizados trabalhando ilegalmente em 4 propriedades rurais de Terra Roxa.

Eles tinham somente o chamado “permisso de turista”, através do qual podem permanecer no Brasil por 90 dias, sendo que a autorização pode ser renovada para mais 90 dias.

Nenhum deles tinha visto para trabalho e também devem deixar o país, caso contrário serão multados e deportados.

Fonte: Educadora